02/08/06 - 07h:41mDenunciar

A arte do penteado africano

Os africanos criaram formas complexas de penteados indicativas de status.



Algumas consistem em barbear a cabeça, tingir o cabelo com terra vermelha e gordura, clareamentos com amonia, e endurecimento com excremento animal.



Entre os Masai, por exemplo, mulheres e civis barbeiam suas cabeças enquanto os guerreiros amarram tres partes de finas tranças na frente e uma longa cauda nas costas ate a cintura.



As mulheres Mangbetu arrumam as finas mechas sobre uma forma cilindrica com um topo alargado, espetado por agulhas feitas de osso que também se usam para a manicure.



Alguns desses cabelos levam horas para fazer, e duram semanas.



Mais simples do que os penteados das mulheres Miango, que penteiam seu cabelo coberto por lenço, para tras em uma longa cauda, amarrada por ramos de folhas , ou as moças Ibo, que barbeiam suas cabeças e em seguida deixam o cabelo crescer apenas de acordo com um padrão elaborado desenhado em seu cranio.



A importancia do cabelo na comunidade africana remonta aos ancestrais.



Apesar das texturas variarem muito , os africanos expressam pontos de vista comuns a respeito do significado cultural e social dos penteados.



Significado social



No pricipio do seculo XIV, os penteados eram carregados de simbologias na maioria das sociedades africanas.



Esses africanos , cidadãos Mende , Wolof, Yoruba e Mandingo foram todos transportados para o novo mundo em navios negreiros.



Entre essas comunidades , o cabelo comunicava muitas vezes, o estado civil, a identidade etnica, religião, riqueza, e status na comunidade.



Os penteados também indicavam a região geografica.



Na cultura Wolof as jovens barbeavam parcialmente seus cabelos para comunicar que não estavam interessadas em cortejar.



E os povos Karamo da Nigeria, por exemplo, eram reconhecidos por seu penteado original, um tufo de cabelo sobre a cabeça raspada.



Da mesma forma as viuvas deixavam de cuidar de seu cabelo no periodo de luto, para não tornarem-se atraentes para os homens.



As lideres da comunidades usavam penteados elaborados. E a realeza usva muitas vezes perucas ou chapeus como simbolo de sua posição.



O significado estético



A aparencia estética era tão importante quanto o significado social.



Nas comunidades oeste africanas as mulheres admiram uma bela cabeça com longos e grossos cabelos.



A mulher de cabelos longos demonstra sua vitalidade, profusão , prosperidade , mão fertil para o plantio e filharada saudavel.



Todavia, o sentido estetico da beleza sempre prevaleceu sobre o significado.



Antes de tudo o cabelo tinha que ser bonito, limpo e bem penteado.



Esses penteados não estavam limitados apenas em tranças e birotes. Também eram enfeitados por ornamentos como missangas e buzios.



O significado espiritual



Tal como o valor estetico e social, motivos espirutuais também serviam para elevar seu significado.



Muitos africanos acreditavam que o cabelo servia como um meio de comunicação com as divindades.



O cabelo sendo a parte mais elevada do corpo significa proximidade com o divino.



Por isso , muitos acreditavam que essa comunicação se dava atraves do cabelo.



Muitos acreditavam que uma pequena mecha de cabelo podia ser usada para encantamentos e bruxaria.



Isso explica poque os cabeleireiros ocupavam e ainda ocupam uma posição privilegiada na comunidade.



Os efeitos devastadores do trafico de escravos



Sabemos que o trafico de escravos não inflingiu apenas danos fisicos como deixou profundas cicatrizes emocionais.



A cicatriz mais devastadora e que se reflete ainda hoje foi o dano causado na imagem da raça negra.



Essa verdade é muito sentida quando se refere ao cabelo e cor de pele. Por serem os simbolos raciais mais evidentes.



Os escravocratas muitas vezes os descreviam como lanosos, asociando-os com animais.



Esses e outros termos seriam usados mais tarde para justificar o tratamento desumano dado aos escravos.



Após anos de repressão , considerando bem apenas aqueles que posuiam cabelos lisos e pele clara obtinham melhores oportunidades , os negros começaram a internalizar essas palavras.



Consequentemente começou o ódio mutuo.



A história



Os cabelo trançado é uma arte antiga, passada de geração em geração na Africa. A origens dessa forma de arte pode ser atribuida aos egipcios de 3550 AC.



Cada região da Africa tem seus penteados tradicionais e cada tribo sua estetica particular.



Em muitos paises oeste africanos, o trançado foi se desenvolvendo em padrões complexos sinalizando o status individual, idade, e filiação etnica.



Alguns penteados eram usados apenas em ocasiões cerimoniosas como casamentos e ritos de passagem.



Por ser uma forma de arte e moda feminina, isso não impediu que em algumas regiões esses penteados também fossem usados pelos homens.



As moças sempre foram cuidadas e penteadas por mulheres mais velhas, como irmãs , mães , avós, primas e tias.



Elas aprendiam primeiramente pela observação e depois pela pratica. Em geral as jovens desenvolvem suas habilidades praticando on her peers? ou em moças mais jovens, porque mulheres mais velhas não querem ser penteadas por ninguém mais jovem que elas.



Cachos Rasta ou Dread locks (dread - assustar)



Os Dread locks , algumas vezes chamados de dreads ou locks , são cordas de cabelo que se formam sozinhas , se o cabelo ficar por conta própria, sem escovar, pentear, aparar por um longo periodo.



Esses locks são um fenomeno universal e que foram usados em varias culturas através dos tempos.



Pode-se dizer que esse foi o mais antigo e universal de todos os penteados.



Tem feito parte da historia de todas as religiões.



Da Cristandade ao hinduismo, os cachos foram o simbolo da pessoa altamente espiritualizada que tentou chegar mais perto da divindade.



Se pesquisarmos nos livros sagrados a sua historia , veremos que esses cachos são mencionados em varias passagens e culturas (na Biblia , Sansão usava seu cabelo em cachos , e sua força insuper´´avel foi perdida quando Dalila cortou suas mechas).



As raizes dos Dread Locks datam do periodo Hinduista e de seu Deus Shiva.



Ha outras opiniões sobre suas origens africanas , mas não se sabe de que parte, como ou quando. Tal como a maioria das origens africanas os dread locks podem ter surgido em Kemet ( Africa).



Porque o cabelo é tão importante para sacerdotes e templos? O cabelo é um grande receptor e emissor. Mesmo quando o cabelo cai do corpo, não perde suas qualidades, e pode ser um grande perturbador no fluxo da energia.



Antes dos animais serem sacrificados tem seus pelos atentamente observados pelos sacerdotes.



Não é qualquer carneiro ou gado que pode ser usado em uma cerimônia, somente o sacerdote é quem pode determinar essas condições.



Olhos destreinados podem considerar qualquer animal apropriado, mas se alguma parte do pelo estiver com problemas , é improprio para uso.



Sabemos que varios faraós usaram esses cachos, e na mumia de Tuthankamom seus dread locks estão intactos.



Na Africa pré colonial, curandeiros e sacerdotes de varias partes, usavam cachos . As religiões que sucederam as tradicionais adotaram essas ideias de usar cachos ou raspar todos os pelos do corpo.



Pela Biblia, aqueles que não se barbeiam, não bebem alcool ou comem carne são os mais proximos de Deus. Jesus é sempre mostrado com cabelo longo. No Islam, barbear é sinal de limpeza.



Por isso associar esses cachos apenas com o Rasta-farianismo é algo injusto.



Na historia do povo negro, o Rastafarianismo tornou-se um movimento politico-espiritual, desde que a profecia de Marcus Garvey foi cumprida.



Isso trouxe aos negros uma chama de esperança, o que fez os Rastafaris adotarem o estilo dos sacerdotes africanos.

czeiger não permite ver os comentários desta foto.

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.