23/05/07 - 23h:18mDenunciar

Anarkaos

Amanhã, 24 de maio, é dia de se lembrar dos 10 anos de Garage Rock em Formiga. Me recordo perfeitamente da multidão na Praça Ferreira Pires. Eu e a amiga Karla, antes mesmo da Anarkaos entrar no palco, andávamos como duas loucas no meio do povo, entre palco e o bar porão. Para lembrar a data, o músico formiguense Bruno Montarroios fez hoje um artigo...



Confira...





10 anos de Garage Rock



24 de maio de 1997, o dia em que o Rock saiu das garagens e foi para as ruas





Bruno Montarroios





Tudo começou em um domingo cinzento, dia 03 de março de 1997. Após um trágico acidente, Formiga acordou mais triste. Morria, prematuramente, uma das pessoas mais queridas e carismáticas desta cidade: o grande músico e companheiro Cleiton Pereira, Pivete. Atordoados com a perda, tenho certeza que todos se perguntavam como uma pessoa com uma vida tão curta e ao mesmo tempo tão intensa, um músico de extrema habilidade, havia partido tão depressa.

Nesta época, morava em Belo Horizonte e, já quando retornava, comecei a pensar como poderíamos prestar uma justa homenagem àquele que, para muitos como eu, foi uma grande inspiração musical. Alguns dias depois, liguei para meu amigo Túlio Fonseca, com quem havia tocado, recetemente, e amigo de longa data do Pivete. Falei da minha vontade de realizar esta homenagem. Pensamos em algo menor, talvez um pequeno show, onde cada músico pudesse homenageá-lo a sua maneira. Sendo assim, ao voltar a Formiga, algumas semanas depois, procuramos os familiares do Pivete, que nos receberam com muita gentileza em sua casa. Reunimos com seu pai, Sr. Rozalvo Pereira, sua mãe, D. Sônia, e sua irmã, Jaqueline. Em uma agradável conversa, expusemos nossa vontade e explicamos toda a idéia. Mal sabíamos que, dali em diante, o projeto já tomaria corpo. Outras idéias foram surgindo e, cada vez mais, tivemos a adesão de pessoas ligadas à música que começaram a participar, efetivamente do projeto.

Tudo isso, fez com pensássemos em algo maior, pois havia uma grande cena musical em Formiga e bandas como Anarkaos, Walkin’ Blues Band, do músico Jorge Bodeus, dentre outras, buscavam novos espaços para tocar, o que era difícil. Procuramos o apoio da Prefeitura Municipal e do então prefeito Eduardo Brás, que de imediato abraçou a idéia e colocou toda uma equipe à disposição do evento, vendo nisto uma grande manifestação cultural. Nascia, assim, o Garage Rock.

Com a Prefeitura Municipal à frente da organização, começamos a dividir as funções e coube a mim e ao Túlio o contato com as bandas que iriam participar desta homenagem. Buscamos pessoas que, de alguma forma, estiveram ligadas ao Pivete e assim convidamos sua antiga banda, Anarkaos, Jorge Bodeus, com o Walkin’ Blues Band e ainda os músicos Rodiney e Rodrigo (Buiú), que na época formaram o Slow Crash. Por fim, Túlio e eu decidimos prestar nossa homenagem, formando uma banda exclusivamente para tocar neste show, o nome era Caliban, que contava ainda com Bruno Braga, Ricardo Cunha e Aulos.

Tudo pronto, data e local escolhidos, divulgação na rua, chega o grande dia. O local não poderia ser melhor, Praça Ferreira Pires, espaço que fervilhava naquela época. O palco foi montado em frente à Escola Normal, fechando a passagem e deixando todo o espaço para que o público pudesse curtir à vontade, uma noite de muito Blues e Rock ’N’ Roll. Estima-se que estiveram presentes, aproximadamente, cinco mil pessoas, que presenciaram ainda uma bela homenagem ao Pivete, através de um breve histórico de sua vida passado em imagens no telão e a presença de seus pais e familiares no palco, o que engrandeceu ainda mais o evento. Foi uma noite para ficar na história de Formiga, mas não foi a única, um ano depois, a Prefeitura realizaria o Garage Rock II, na praça do Terminal Rodoviário, com uma estrutura ainda maior e com um número maior de bandas de rock, mas essa é outra história.

Dez anos se passaram, novas gerações vieram, mas um desejo continua vivo, dentro de cada um de nós, apreciadores da música de qualidade, de que eventos como esse não fique apenas na lembrança de nossa cidade.





Bruno Montarroios Neto Almeida é publicitário e músico nas horas vagas.







Comentários (5)

maritheusaeverde
1. maritheusaeverde 24/05/2007 - 00h30m

isso me emociona.... muito....

2. B. 24/05/2007 - 08h25m

Alguns dias depois do Garage Rock, a Tia do Pivete entrega nas mãos do Warlen um papel encardido e todo sujo de poeira, e diz:
_Demos uma limpada no porão e achamos esse papel, acho que é de vocês!
Era a letra de Camisa de Força, escrita pelo Paulo e que estávamos trabalhando na música.

3. B. 24/05/2007 - 10h04m

são de vocês*

movimentorhcp2007
4. movimentorhcp2007 24/05/2007 - 10h49m

10 anos já é mta coisa... gostei muito do Artigo.

5. tuxsux 24/05/2007 - 11h46m

vida longa ao rock and roll!

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.