29/05/07 - 00h:04mDenunciar

MC5

ao som de "looking at you"...



assisti hoje a um vídeo da banda de 1970...que energia gostosa desses rapazes.





MC5 foi uma banda de rock formada em 1964 na cidade de Detroit por Wayne Kramer (guitarra), Michael Davis (baixo), Rob Tyner (vocais), Dennis Thompson (bateria) e Fred "Sonic" Smith (guitarra). Foi precursora do punk e uma das primeiras a fundir a agressividade musical com idéias políticas.





Sei que está fora de contexto, mas aí vai um artigo que fiz na semana passada...





O ônibus não parou



Quinta-feira, 17 de maio. São 22h30. Saio com pressa da aula de ética, com medo de perder o ônibus que leva estudantes de Formiga para a PUC Minas Arcos. O horário de saída é sempre às 22h40. Chego ao ônibus e encontro a primeira poltrona vazia. É lá mesmo que sento. Cansada, tento dormir, mas não consigo. Poucos minutos se passam e o ônibus sai sentido a Formiga.

Três ônibus levam diariamente estudantes formiguenses à universidade. Naquela noite, o meu foi o último a sair. Com as luzes apagadas e a maioria de seus passageiros em silêncio, o ônibus segue a BR-354 com tranqüilidade. Estava ansiosa para chegar em casa e dormir, porque meu dia havia sido de muito trabalho.

Depois de ver muitos veículos cruzarem com o ônibus em que eu estava, vi um caminhão se aproximando em nossa mão. Na hora, o motorista do ônibus reduziu a velocidade e eu já levantei o corpo da poltrona com medo de um acidente ocorrer conosco. Esperamos o caminhão voltar para sua mão de direção. Não imaginava que ele estava se desviando de um corpo caído no meio da pista.

O ônibus foi andando devagar e rapidamente avistei o corpo debruçado próximo à faixa amarela da rodovia. Pouco mais à frente uma mulher, desesperada, balançava os braços pedindo para o ônibus parar. O ônibus não parou. Atrás dela um Pálio todo amassado e do outro lado da pista uma moto em chamas. Fiquei assustada, com medo. Os estudantes começaram a se levantar e a ir para as janelas. Queriam também ver a cena. Mas a que eu vi ficou registrada na mente e a vontade no momento era de ter uma máquina fotográfica nas mãos. O ângulo para a foto do acidente era perfeito. Em primeiro plano, a vítima (que já parecia estar morta); em segundo, a mulher que balançava os braços (parecia ser a motorista do pálio); em terceiro, a moto em chamas (que parecia ser conduzida pela vítima).

O ônibus seguiu devagar o seu caminho e o silêncio acabou. Alunos comentavam o acidente, estavam curiosos e queriam saber quem era a vítima, quem era a motorista, o que de fato havia acontecido. Parei em meu ponto, cheguei em casa e fui dormir com a cena na cabeça. No outro dia, fiquei sabendo do ocorrido. O operador de motosserra Ronaldo Rittis, de 25 anos, que conduzia uma Honda CG azul sentido Formiga-Arcos havia batido de frente com o Fiat Pálio prata, que vinha em direção a Formiga.

O Boletim de Ocorrência (BO) 301.662 da Polícia Rodoviária de Formiga narrava que Ronaldo morreu no local do acidente, como eu realmente havia suspeitado. Com a batida, a moto pegou fogo.

Ronaldo era solteiro, filho de Lourdes Flausina Reseno e irmão de Ronivan Rittis. Ele morava na Comunidade Rural de Luanda.

O acidente na BR-354 ficou marcado na cabeça dos estudantes. Foi assunto para sexta à noite e sábado pela manhã. Cada um contava uma versão e todos lamentavam o ocorrido.



MC5

Comentários (4)

1. tuxsux 29/05/2007 - 00h16m

mc5 é a "minha" banda!
sonic revolution!
rama-lama-fa-fa-fa...

2. Ju Khouri 29/05/2007 - 08h08m

Juuuu,
eu sabia que esse artigo era seu, na hora em que li... ficou mto bom... mto mesmo... a forma como descreveu o que viu e as emoções, de forma sutil, da pra imaginar bem, como se tivesse visto também o que vc viu...
Ju, saudade de vc, das nossas conversas...
amo-te..
bjooooo

3. B. 29/05/2007 - 14h38m

Sem (Cem) palavras!

maritheusaeverde
4. maritheusaeverde 29/05/2007 - 20h24m

kicóuldêdiêmsmodafocas!

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.