..........

ao som de "letter to Memphis", da Pixies...

Fuçando nos meus arquivos, achei esta foto antiga que tirei com o Seu Camarão...conheço esse senhor-escritor há muito tempo e adoro conversar com ele (tem sempre ensinamentos a me dar com seus vastos conhecimentos de mundo). Gosto também das gargalhadas sinceras e do brilho dos olhos dele. Seu Camarão me faz lembrar do Papai Noel que eu acreditava existir quando era criança.

Há muito tempo, acredito que seis anos atrás, ganhei de Seu Camarão o livro "Contos Árabes". Muito bom. No entanto, como os contos são relativamente grandes e fica complicado digitá-los aqui, prefiro relatar uma das fábulas que a obra também traz.

O veado na fonte

Loqman

Um veado sedento veio a uma fonte para beber, mas quando percebeu sua imagem refletida na água, sentiu-se tomado de melancolia por causa da magreza de seus pés, mas por outro lado, orgulhava-se da beleza e da grandeza de seus cornos. Pouco depois, os caçadores puseram-se em sua perseguição. Enquanto fugia pelas planícies não puderam nada contra ele, mas, quando atingiu a floresta da montanha, sua corrida foi retardada por seus cornos que se embaraçavam entre as moitas e os galhos. Os caçadores então se apoderaram dele sem dificuldade e mataram-no. Mas antes de exalar o último suspiro o veado gritou:
_Coitado de mim que subestimei o que me salvou a vida e só tive elogios para o que me causou a morte.


Vou colar aqui uma crônica de Seu Camarão que estava salva no meu computador. Ela compõe o livro "Xadrez: crônicas de um grande Camarão"

"O Apreço"

Este escriba valoriza o pensamento percuciente revelado pelo filósofo, místico, humorista e outros através da manifestação escrita. Vamos dedicar algumas citações: Lao Tse (séc. VI a.C.), filósofo e místico chinês enunciou: "Palavras de verdade sempre parecem paradoxais, mas nenhuma outra forma pode substituí-las".
O paradoxo é tudo aquilo que parece contrário ao comum e, assim, assemelha-se a um disparate. O estudioso atento e sem pressa para tirar conclusões há de comprreender muito daquilo que ao primeiro exame não lhe parece claro ao entenimento. Pôr séculos, certo pensamento de Sócrates (séc. IV a.C.) foi denominado "O Paradoxo de Sócrates" - "Ninguém faz o mal voluntariamente, mas por ignorância, pois a sabedoria e a virtude são inseparáveis." Onde está o paradoxo nessa tamanha evidência?
Algures li essa declaração: "As massas se lançam à guerra e desejam morrer por aquilo que consideram bom, seja por um ideal, um bem social ou religioso".
Num país culto e civilizado, como a Alemanha, as massas foram à guerra incitadas pelo discurso do energuémero Adolf Hitler. A mesma pátria do filófofo Immanuel Kant (1.724 - 1.804) a ensinar ouvir a própria consciência antes de dar crédito as palavras dos políticos malucos ou matreiros.
Os americanos do norte não percebem que seus presidentes governam de acordo com os interesses das mega companhias de petróleo e de armamentos. Quanto mais guerras mais lucros. E os EUA gradualmente caminham para ser a nação mais odiada do planeta.
Voltemos aos filósofos e deixemos de lado os oportunistas na política Pierre Teilhard de Chardin (1.881 - 1956) - padre jesuíta, místico, geólogo, paleontólogo, filósofo e teólogo. Em 1965, a Unesco prestou uma homenagem ao padre Pierre e a Albert Einstein por ocasião do décimo aniversário do falecimento de ambos. Albert Einstein (1.879 - 1.955) é sobejamente conhecido, porém, quem foi Teilhard de Chardin? Os superiores hierárquicos de Chardin admiravam seu valor como cientista mas se sentiam incomodados com o padre de "ideias novas e suspeitas". Decidiram mantê-lo calado, longe dos intelectuais europeus. Ele foi relegado para a distante China do seu tempo. Apresentamos uma joia do seu pensamento:
"Você não é um ser humano em busca de uma experiência espiritual. Você é um ser espiritual imerso em uma experiência humana".
De Albert Einstein, considerado ateu pelos teólogos, escolhemos três dos muitos pensamentos seus bastante divulgados: "Deus é a lei e o legislador do Universo" - Minha religião consiste numa admiração humilde ao Espírito Superio e ilimitado que se revela a si mesmo nos mínimos pormenores que estamos aptos a captar com nossas fracas e irrelevantes mentes. A profunda certeza de um Poder Superior que se revela no Universo, difícil de ser compreendido, forma minha ideia de Deus.
"A paz é a única forma de nos sentirmos realmente humanos"
E os humoristas, os mestres filófosos do riso, dizem a verdade a divertir. Apariciio Torelly, o Barão de Itararé (1.895 - 1971), jornalista brasileiro: "Anistia é um ato pelo qual o governo resolve perdoar generosamente as injustiças que ele mesmo cometeu".

Comentários (0)

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.