05/03/07 - 02h:12mDenunciar

Sid Vicious e Johnny Rotten

Ao som de "nada vai adiantar"... irreverente demais a letra. Como a música cita uma banda que revolucionou o rock and roll na década de 70, com letras cruas e niilistas, vou contar aqui um pouco da história dela, ou melhor, da Sex Pistols.



Quem começou tudo foi o londrino Malcom McLaren. A história dele começa a ficar interessante em 71, quando abriu a Let It Rock, uma loja de roupas para a nova geração de teddy boys - os filhotes das gangues originais, surgida no início de 53. Desde então, McLaren tornou-se uma celebridade entre músicos e modernos londrinos. Em 75, ele percebeu que o que valia no mundo do rock era mais a atitude do que o som. McLaren decidiu enfim "construir" uma banda segundo seus novos padrões. Mudou o nome de sua loja para SEX, transformando-a no epicentro do terremoto que sacudiria o mundo pop. Foi ali que ele inventou o punk e os Sex Pistols. Reuniu os integrantes: Steve Jones (guitarrista) e Paul Cook (baterista), que viviam na SEX, e Glenn Matlock (baixista), que era balconista da loja aos sábados. Faltava escolher somente o vocalista. Foi então que a banda experimentou um velho freqüentador do lugar, um adolescente de dentes podres chamado John Lydon (Johnny Rotten - Joãozinho Podre). O teste é feito na loja, com o vocalista cantando numa jukebox. Johnny, que nunca tinha cantado antes, foi aprovado por sua postura e comportamento anti-social. Os ensaios da Sex Pistols começaram. O primeiro show foi no dia 6 de novembro de 1975, um fiasco inevitável dado ao despreparo dos músicos. A partir daí, dezenas de bandas começam a abraçar o estilo, dentre elas, Siouxsie & The Banshees. A epidemia alastrou-se com velocidade absurda.

A televisão encarregou-se de levar o punk aos lares ingleses. Em dezembro de 76, Siouxsie, os Pistols e outros punks são os astros de um dos programas de maior audiência da TV inglesa, a famosa hora do chá, na qual famílias se concentravam na frente da TV. Depois do programa, dois milhões de britânicos passaram a amar ou a odiar os Sex Pistols. Motivo: pela primeira vez na história, a expressão "fuck off" (foda-se) é dita diante das câmeras. O protagonista da história foi Johnny Rotten. Perfeito golpe de marketing. A imprensa caiu em cima do episódio, detonando os Pistols por completo e, de quebra, levando o movimento às primeiras páginas de todos os jornais. Pistols foram chutados da EMI em 6 de janeiro de 77. Começava então o ano de glória da banda. Ainda neste ano o baixista Glen Matlock, que não se dava bem com Johnny Rotten, foi enxotado da banda. A saída dele motivou a entrada daquele que viria a ser o maior símbolo do punk rock em todos os tempos, Sid Vicious. Sua performance ao vivo e sua personalidade autodestrutiva deram o toque final na fórmula do grupo. Sex Pistols, por trás de suas táticas negativistas, fazia crítica social cuidadosamente pensada para gerar impacto na sociedade. Sabia passar em suas músicas a frustração, a raiva e a insatisfação da classe trabalhadora inglesa.



Aí vai a punk "nada vai adiantar"...



Minotauro - Nada vai adiantar



Pode ser respeitosa, não ser invejosa

Pode ser trabalhadora, e ser carinhosa

Pode ser paciente, uma pessoa decente

Uma mulher diferente, que não liga pra presente



Mas se você não gostar de "Sex Pistols" nada vai adiantar (4 vezes)



Pode ter a voz rouca nem ligar pra roupa

O melhor beijo na boca, uma mulher meio louca

Pode ter conteúdo, não gostar de Menudo

Pode nem se importar se eu tô barrigudo



Mas se você não gostar de Sex Pistols nada vai adiantar (4 vezes)





Como não há vídeo com a música "nada vai adiantar", confira aqui outra canção da banda...



Minotauro



Sex Pistols

Comentários (1)

jukhouri
1. jukhouri 5/03/2007 - 08h30m

Juuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.