01/04/05 - 16h:09mDenunciar

+ Rozz Williams +



+Music: "Heresy" – Christian Death+



+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
+++++++++

Parece mentira mas ha 7 anos (01/04/1998) você poderia ter encontrado um colega teu em um cemitério chorando, com fotos de revistas na mão e com um walkman (hehehe) escutando Christian Death; ou no próprio quarto sucumbindo na escuridão de tuas lágrimas...O motivo? A morte do vocalista Rozz Williams da banda gothic Christian Death. Uma das mais marcantes na cena gotica mundial.

Putz...como esse cara faz falta...mas as músicas dele ainda perpetuam no tempo!

Mais informações sobre a vida de Rozz você pode ler a baixo nesta biografia, que é interessantíssima sem deixar de ser sinistra!...

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
++++++++++

Nascido em Pomona, no sul da Califórnia, em 6 de Novembro de 1963, Roger Alan Painter foi o mais novo da família. Seus pais foram ambos Batistas, então ele, seus dois irmãos e uma irmã mais velha resistiram à uma educação estritamente religiosa.

Ele começa com o interesse para música com 9 anos de idade, ouvindo David Dowie, Roxy Music, T-Rex, Alice Cooper, Iggy Pop, The New York Dolls e muitos outros. Ele sabia desde então que queria ser um músico. Quando ele atinge a adolescência ele foi atraído pela cena Punk americana e raspou sua cabeça.

No momento que Roger tinha 16 anos de idade, ele decidiu começar a fazer música ao invés de apenas ouví-la. Decidiu usar pra si o nome Rozz Williams, pego de uma lápide que ele encontrou em seu cemitério favorito, sua primeira banda se chamou "Crawlers to No", a qual tornou-se mais conhecida como "The Upsetters". Rozz cantou e tocou guitarra, embora a banda nunca teve performance em palco. Rozz então sai para formar o "The Asexuals". Ele cantou, tocou guitarra e órgão, Jill Emery tocou baixo e também cantou, e Steve Darrow tocou bateria. Eles tocaram em algumas festas mas nunca em shows próprios. Outro projeto chamado Daucus Karota teve Rozz cantando, Jay na guitarra e Mary Torciva na percurssão.

Christian Death foi formado em Outubro de 1979. O nome foi uma corrupção do nome do estilista Christian Dior. Rozz cantou, Jay tocou guitarra e James McGearty foi no baixo. McGearty então introduziu George Belanger na banda como baterista. Seu primeiro show juntos foi com o 45 Grave no Hong Kong Cafe, China Town, de Los Angeles-Califórnia; e desde então fora seguido o bom destino da banda.

A banda se dividiu por um curto período de tempo no início de 1981, e Rozz uniu-se com Ron Athey para formar o "Premature Ejaculation". No tempo eles estavam vivendo dentro e fora da casa dos pais de Rozz. Eles tiveram seu primeiro encontro na garagem em Claremont, Califórnia, aonde o foi ouvido o primeiro concerto do Christian Death. Eles relatam isso de forma muito estranha. Ron lembra que "eles foram verdadeiros punk românticos - ele colocou um piercing no meu mamilo, eu tatoei seu nome nos meus pulsos e cortei a palma de sua mão com uma navalha." Eles fizeram alguns poucos shows em Los Angeles. Em uma dessas performances, Ron começou a comer e a vomitar um gato morto. Eles encontraram dificuldade para conseguir apoio desde então, e como os clubes não queriam permitir que eles tocassem, Rozz e Ron começaram a experimentar em casa com gravação de fitas.

No verão de 1981, McGearty e Belanger apresentaram Rozz para Rikk Agnew, que foi o guitarrista do The Adolescents. Jay foi teve sua saída confirmada da banda por começar a furar nos ensaiois e perder seu interesse; Rikk toma seu lugar. McGearty financiou um tempo no estúdio e as sessões de produção das músicas, as quais foram responsáveis pelo Deathwish (EP). Também a faixa 'Dogs' foi incluída na agora infame coletânia Hell Comes to Your House (LP).

O lançamento do Deathwish EP e sua contribuição na coletânia Hell Comes to Your House aumentou o interesse de colocar o Christian Death em um nível maior, e Lisa Fancher assina com a banda em seu selo Frontier Records e seu álbum de estréia, Only Theatre of Pain, lançado em Março de 1982

Ron Athey e Eva Ortiz providenciaram os backings vocals e Rozz desenhou a capa à mão. O álbum foi criticamente aclamado pela imprensa fonográfica, mas houve certas controvérsias. Um apresentador de um programa religioso especial na TV sobre "Influências satânicas nos dias de hoje" quebrou uma cópia do álbum, ao vivo.

Os shows do Christian Death começaram a tornar-se mais elaborados. Rozz às vezes cantou sob um vestido de noiva, (mock communications) ou amarrado numa cruz em menção à crucificação de Cristo. Esses atos, entre outros, fez com quem grupos religiosos cristãos queimassem seus discos no lado de fora dos shows e também fez com que eles fossem proibidos de tocar em alguns locais.

Rikk Agnew e George Belanger saem da banda por volta do fim de 1982. Eva Ortiz (guitarra e backing vocals) e China (bateria) entram na banda como substitutas em apresentações ao vivo. Outro guitarrista, Michael Montana substitui Eva após seu primeiro show em que o Christian Death e o Pompeii 99 tocaram juntos.

Catastrophe Baller foi gravado no estúdio Rockfield, em Monmouth, País de GAles, por volta da mesma época. Isso foi o ponto de partida para as harmonias religiosas de seu LP de estréia, e as letras da nova paixão de Rozz pelo Surrealismo e movimento Dadaísta (o álbum foi dedicado à Andre Breton). Rozz passou a viver na França, lar de muitos de seus heróis artísticos e literários - Rimbaud, Genet, Lautremont, Marcel Duchamp e Rene Magritte, entre outros. Constance Smith saiu da banda seguido na gravação do novo álbum e, nos shows ao vivo, foi substituído por Dave Roberts

Rozz decidiu sair do Christian Death no meio da turnê italiana de Junho de 1985. Ele telefonou para Gitane e disse "Eu não posso fazer mais isso. Estou indo embora".

Rozz oficialmente saiu do Christian Death depois dos shows americanos em Abril de 1985, fazendo Valor levar o resto da banda para a Itália como parte da turnê européia. Rozz disse para Gitane não continuar com o nome Christian Death, e Valor concorda em mudar o nome da banda para "Sin and Sacrifice". Porém, ele decide voltar atrás e manter Christian Death, principalmente para causar aborrecimento à Rozz. Rozz considerava o Christian Death como sua criação e sentiu que foi uma decisão sua, e não de Valor, que a banda continuasse ou não. Embora Gitane sentira-se culpada por isso, ela apoia Valor. Roz não luta pelos direitos do nome.

Em 1987 Rozz e Eva se mudaram para São Francisco e se casaram. Isso fez com que eles começassem uma nova banda chamada "Shadow Project".A formação incluia Barry Galvin, David Glass e Johann Schuman (baixo), e a banda tocou no 'Cover Wagon' em São Francisco e no 'The Club with no Name', em Los Angeles. O nome, Shadow Project, foi tirado dos teste em Hiroshima seguidos da bomba nuclear, os quais deixaram "impressões" ou "sombras", e não "corpos".

Rumores circularam sobre a morte de Rozz ou possibilidades dele ter sido internado num asilo mental, e em 1988, para ajudar a parar o rumores, ele reforma o Christian Death e revive o que foi mais gratificante pra si mesmo - sua banda.

Os shows do Christian Death continuaram em 1989, até o começo de 1990. A formação consistiu em Rozzo, Eva O, Rikk Agnew, Casey (baixo) e Cujo (bateria).

Escapando da caótica vida de Los Angeles, Rozz e Eva decidiram se mudar para Las Vegas. Eles viviam quietamente numa casa no deserto perto das montanhas. De qualquer modo, isso não foi o bastante para mantê-los casados.

Eles tocaram na América em Outubro de 1992.

Também no fim de 1992, Com a ajuda de Eva (guitarra), Paris (teclados), William Faith (baixo), Scat Elis (baixo), Stevyn Grey (Bateria), Kris Kohls (bateria), Brian Virtue (samples), Wayne James (guitarras), Armon Christoff (piano e guitarra acústica) e Aaron Schwartz (harpa), Rozz grava dois novos álbuns de estúdio do Christian Death entitulados "The Path of Sorrow" e "The Rage of Angels". Rozz foi pego dizendo "The Path of Sorrows é provavelmente meu álbum favorito do Christian Death". Uma das músicas do The Rage of Angels foi escrita por Jeffrey Dahmer, o serial killer americano pelo qual Rozz tinha a maior fascinação.

No verão de 1993, Shadow Project faz turnê pela América. A banda consistia em Rozz, Eva, Paris, Mark Barone (baixo) e Christian Omar Madrigal Izzo (bateria). Após sua turnê americana, Eva O e Paris deixam a banda pra trabalharem no CD 'Demons Fall for an Angels Kiss', do Eva O Halo Experience.

Erik Christides, um dos melhores e mais amados amigos de Rozz, comete suicídio em 1997, e um show especial comemorativo foi feito no Perversion, em Los Angeles, em 6 de Janeiro de 1998. Essa foi a última vez que Rozz subiu ao palco.

Rozz foi encontrado enforcado no dia 1º de Abril de 1998. Ele foi encontrado por Ryan, seu parceiro de quarto no seu apartamento em West Hollywood. Ele não deixou qualquer carta de suicídio e ainda não é conhecido o porquê que Rozz tirou sua própria vida. Sabe-se que seu alcoolismo estava começando a afetá-lo negativamente, mas como seus vícios em drogas, ele sempre administrou os problemas emocionais e físicos que tinha em função disso. Muitos dos amigos acreditavam que a data tinha um significado especial para Rozz. Um memorial foi feito no El Rey Theatre logo após sua morte, e em uma pequena reunião da família e amigos, são lançadas suas cinzas na terra do Runyon Canyon.

O último projeto no qual Rozz se envolveu antes de sua morte, foi um filme chamado PIG, o qual foi lançado no começo de 1999. Nico B. dirigiu o filme, e Chuck Collison completou a trilha sonora.

Em 2000, o livro "The Art of Rozz Williams" foi lançado, o qual dá uma detalhada história da vida e arte de Rozz.

No dia 1º de Abril de 2001, aniversário de 3 anos de sua morte, houve um memorial público no cemitério Hollywood Forever em West Hollywood, California. O memorial uniu família, amigos e fãs de todo mundo. Há um memorial permanente na seção columbrarium do cemitério Hollywood Forever.



Biography by: John Collins

Translated by: Crisis



Alguns outros vocalistas que entraram para a banda também suicidaram.

Em shows ao vivo do Christian Death o palco era repleto de instrumentos facilitadores ao suicídio e coisas afins...

Rozz dizia que já não havia mais lugar para ele neste mundo e ninguém ao teu lado.

Ele morreu, mas de sua banda surgiram outras boas bandas goticas.

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
++++++++++

Comentários (8)

kasobsceno
1. kasobsceno 1/04/2005 - 21h16m

super interessante. tem mais um na lista dos mortos. tadinho do papa... não
consigo conter minhas lágrimas...

ladyninfa
2. ladyninfa 2/04/2005 - 21h39m

a vida é mesmo uma porcaria
mas temos que fazer dela
um cimiterio sombrio
curta a vida da sua maneira
e viva as trevas
te add falou
bjs sangrentos

morbidgothic
3. morbidgothic 3/04/2005 - 22h04m

me adicione ao msn
preciso tirar algumas duvidas sobre a gothic rave
ikilledgod666@hotmail.com
abraços

easycure
4. easycure 5/04/2005 - 18h09m

Uma sepultura rasa
Um monumento para a geração arruinada
Gelo em meus olhos
e olhos como gelo não se mexem
Gritando pela lua
Mais um passatempo
(Cold - The cure)..

lorddarkness
5. lorddarkness 6/04/2005 - 04h01m

ROZZ e *****!!!!!!!
Tbm gosto muito de Christian Death.
Ate a THORNS!!!!!!!!!!!!!!
BEijos

6. .... 6/04/2005 - 10h15m

ja que vc me escreveu akilo...intaum faça algo pra mudar...

7. +Steph+ 6/04/2005 - 13h35m

++++++++++++++++++++++++++++++++++
P/...?????????????????????????????
++++++++++++++++++++++++++++++++++

therion
8. therion 7/04/2005 - 01h07m

saudaçoes!!! valeu por passar em meu humilde canto...
com relacao ao seu comente...vamos esperar pra v...mas concordo... n
podemos esperar muita coisa do novo papa. ate pq a estrutura da igreja
catolica é bem rigida.
xero grande na alma

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.