Quesada, Confessori, Mancini e Bianchi

Review do Origins, do Shaman, por Ben Ami Scopinho:

A espera terminou! Depois de chegar ao público nipônico via Avalon / Marquee, o tão aguardado quarto álbum do Shaman está aportando em território brasileiro através do atuante selo Voice Music. “Origins” começou a ser preparado há cerca de dois anos, e desde então seus músicos passaram a investir e aprimorar o conjunto de canções até julgarem tudo perfeito para chegar ao público.

O novo álbum conta a história do garoto Amagat, siberiano de uma distante tribo conhecida por ser o lar dos primeiros xamãs que vieram ao mundo. Mas o jovem não acredita no tradicional evento que marcará sua passagem para a idade adulta e, como tal, ser um guerreiro. Considerado um covarde, sua fuga dá início a uma jornada dividida em 10 etapas que o tornará um iluminado destinado a retornar ao seio de seu povo para ser um líder espiritual, o Shaman.

O conceito certamente não é novo, mas “Origins” impressiona, independente das previsões fatalistas dos céticos acerca esta segunda encarnação do SHAMAN. Mantendo a assinatura do Power Metal escorado em toneladas de melodias, a banda investe em arranjos tão refinados que, fugindo de soluções simples, em várias ocasiões beiram o chamado progressivo, oferecendo execução precisa e agregando suaves orquestrações e os conhecidos temperos étnicos, exóticos, enigmáticos e sempre tão bem-vindos em sua sonoridade.

Produzido pela própria banda e masterizado no Universal Mastering Studios (NY) por Mark Santangelo, "Origins" pode não colocar o SHAMAN acima ou além das outras feras do gênero, mas mostra a banda novamente trilhando seu próprio caminho. Tudo é experimentado, montado e encaixado conscientemente e com a visível preocupação em oferecer a devida individualidade a cada faixa, gerando um repertório dinâmico e de grande variação emocional. Como escutar "Inferno Veil", "Finnaly Home" ou "No Mind" – para mencionar apenas três canções – sem rasgar todos os elogios?

Bom, se a edição importada de "Origins" apresenta como bonus um cover de "Kurenai", do X Japan, a versão tupiniquim traz o DVD "Shaman & Orchestra - Live At Masters Of Rock Of Prague"... Saímos no lucro! Gravado em outubro de 2010 na República Tcheca, o SHAMAN foi co-headliner do festival 'Pragokoncert Masters Of Rock' e estava acompanhado pela Buslav Orchestra de Visovize, conduzida pelo maestro turco Musa Goçman, tocando diante de 30.000 pessoas – e o povo gostou!

Tendo como foco o álbum “Immortal” (07), a apresentação durou cerca de uma hora. A qualidade visual é boa, com várias câmeras oferecendo movimentação e variedade de ângulos, e ainda com as opções de áudio em estéreo e dolby 5.1. O DVD também traz 30 minutos de 'making of' bem simples, mas com várias cenas curiosas acerca dos bastidores do festival, e tem até uma ponta com os caras do Rage e Destruction. Ou seja, há muito material para o público apreciar!

Se a controversa saída dos antigos e ilustres membros compreensivelmente minou parte da capacidade criativa do SHAMAN, com alguns trabalhos que não encontraram o devido respaldo por parte da crítica e público, certamente "Origins" mostra que o pessoal soube como dar a volta por cima de forma exemplar. Desde já, este é um dos grandes destaques deste segundo semestre de 2010 e um presentão aos fãs que apoiaram a banda em seus momentos mais difíceis!


Nota 9

http://whiplash.net/materias/cds/116820-shaman.html

Comentários (0)

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.