08/03/06 - 16h:21mDenunciar

Karma



Karma Segue Atropelando As Adversidades!



Quando aconteceu a reformulação no Angra, no início de 2001, três bandas passaram a ser bastante comentadas por serem os grupos de origem dos novos integrantes da banda paulistana: Hangar, de onde veio Aquiles Priester; Symbols, que tinha Edu Falaschi nos vocais; e Karma, grupo de origem de Felipe Andreoli. As três bandas prosseguiram suas trajetórias, cada uma de um jeito diferente, e a última que faltava voltar a “dar as caras” era justamente o Karma – silêncio esse rompido com o lançamento do mais que consistente CD Leave Now!!!



O primeiro detalhe que chama a atenção no disco é o fato de o baixista do Karma ter voltado a ser Felipe Andreoli – com ele estão Thiago Bianchi (vocais), Chico Dehira (guitarra), Fabrizio Di Sarno (teclados) e Marcell Cardoso (bateria). Mas, entre a saída de Felipe e sua volta, “muita coisa aconteceu”, como diz Dehira: “Passaram muitos baixistas pelo Karma, entre eles Fernando Giovannetti, Andria Busic e Tito Falaschi. Foi com o Fernando que começamos as composições e chegamos a gravar uma demo com quatro músicas, O.D., Older, You e Real Blue, que estão no disco. Mas foi com o Tito Falaschi que compusemos a maioria das faixas.”



Thiago pede a palavra e dá alguns detalhes chocantes: “Bom, aí vem a parte merda da história... Fiquei sem voz por alguns dias e, ao procurar um médico, descobri que sofria de câncer no mediastino, que é a cavidade que aloja o coração. Foi um baque e tanto, ainda mais por saber que foi esse tipo de câncer que matou o cantor Leandro! Além disso, enquanto estava de cama, meu estúdio foi roubado!!! Pode acreditar! E tem mais: no terceiro mês de quimioterapia minha namorada de nove anos resolveu que era a melhor hora para terminar comigo! Não é demais?!” Mesmo com tanta coisa dando errado, Thiago teve a sabedoria de canalizar isso para o que sabe fazer melhor: música. “Foi um período muito intenso, perfeito para escrever um disco”, confirma ele. “Então, nos enfiamos no estúdio – ou no que restou dele... – e começamos o Leave Now!!! Se você quer saber, foram as melhores coisas que aconteceram na minha vida, pois foram elas que me deram a força necessária para chegar aqui com toda essa gana! E cá estamos!”



Além da indiscutível qualidade de Leave Now!!! (título que se relaciona com tudo o que Thiago passou e que o proóprio traduz como “sai, inhaca!”), o destaque do Karma acaba sendo a volta de Felipe às suas fileiras. “Foi sugestão minha”, conta o baixista. “Quando o Tito saiu, tive essa idéia de voltar pra banda. Na realidade, eu nunca queria ter saído, mas no início era impossível conciliar a agenda do Angra com qualquer outra coisa. Acho que, se eu tivesse ficado, poderia até ter atrapalhado pela falta de tempo”, confessa ele. “Um belo dia estava conversando com o Thiago e falei, meio que de brincadeira, que queria voltar”, prossegue o baixista. “Ele gostou da idéia e começamos a conversar a respeito. O resto do pessoal também concordou e aqui estamos!”



Felipe diz que conciliar as atividades do Angra e do Karma “é complicado, mas não impossível. Uma das coisas que foram bem conversadas é que haverá momentos em que não estarei disponível. O Angra continua sendo a prioridade, sem dúvida.”Resolvido esse dificultador, a presença dele no Karma só é benéfica para o quinteto. Chico define: “Como músico, ele dispensa comentários. E o cara é influente, pois toca no Angra!” Marcell confirma: “Ele é uma pessoa muito bem relacionada e, além disso, dá prazer em tocar com ele, principalmente pelo fato de sermos amigos há muito tempo.”



Mesmo com toda a qualidade envolvida na produção do álbum, a banda não arrisca dizer qual retorno deve se esperar dele: “É difícil dizer, já que estamos no começo de um novo trabalho, mas sabemos que ele tem qualidade e acreditamos que pode ser um marco para o começo de uma grande carreira.”



Felipe também está otimista: “A única coisa que espero é que as pessoas tenham a chance de ouvir nossa música. O que acontecer depois será conseqüência disso. Acho triste ver bandas com discos excelentes que infelizmente não chegam a ser ouvidos pela maioria das pessoas.” Chico, por sua vez, crê que o principal objetivo do disco deva ser “mostrar pra galera que a banda mudou e amadureceu. Tentamos buscar algo novo, desde a parte gráfica até a composição das músicas, os arranjos e a produção. E espero que tenhamos conseguido isso!”



O caminho, agora, é a estrada. Felipe diz que “2006 vai ser repleto de muito trabalho para o Karma, esperamos chegar ao máximo de lugares possíveis”, inclusive o exterior, onde já estão em negociações tanto o lançamento do álbum como alguns shows da banda.



Rock Brigade





Comentários (1)

girlmetal84
1. girlmetal84 8/03/06 20:51

q massa ^^
Mto loko....flw 1

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.