23/10/04 - 13h:35mDenunciar

Angra: Transcendendo os limites do Heavy Metal!



Após ter passado uma fase turbulenta com a saída de três integrantes de uma só vez e de ter ressurgido na cena de maneira avassaladora, com o álbum “Rebirth”, o Angra coloca agora nas lojas “Temple Of Shadows”, o segundo trabalho com a nova formação. Mais maduro e diversificado, o álbum é um reflexo fiel do atual momento do grupo.



A equipe do Rock Online conversou exclusivamente com todos os integrantes após o último ensaio antes da turnê e agora você confere tudo o que a banda pensa sobre o novo álbum, turnê entre outros temas.



Vocês acabaram de fazer os ensaios para os shows da próxima turnê. Como estão as coisas? Tudo pronto para cair na estrada novamente?



Rafael Bittencourt: O Aquiles é o nosso avaliador de ensaios (risos).



Aquiles Priester: Como você viu, estamos muito prontos, a banda está em cima. Fora esses três ensaios que fizemos aqui no EM&T [Escola de Música e tecnologia] a gente já tinha ensaiado cerca de 15 dias e estamos bem preparados para os shows.



“Temple Of Shadows” é um álbum conceitual e envolve temas religiosos. De onde veio essa idéia e qual a ligação dessa história, que se passa no século XI, com o mundo atual?



Rafael Bittencourt: Isso, a história é a de um cruzador do século XI. A analogia é com o fanatismo religioso e pretextos religiosos pra guerras políticas e comerciais, como acontece com o Iraque, a força do petróleo que se mistura com questões religiosas e tal.



E por que você resolveu falar desse assunto?



Rafael Bittencourt: Primeiro de tudo, o conceito musical do disco “Temple Of Shadows” nasceu antes das letras. E como as músicas são emocionantes, complexas e envolveram a banda toda, e eu queria um assunto que estivesse à altura. Foi um pouco por causa disso e também porque eu tenho envolvimento com esse tipo de assunto há muito tempo, eu gosto, é natural pra mim.



Então esse é o álbum mais trabalhado do Angra?



Rafael Bittencourt: Certamente. Inclusive o Edu tem um parecer aqui sobre isso.



Edu Falaschi: Na verdade nós achamos sim que este é o trabalho mais sofisticado do Angra. Mas eu não creio que é porque a música seja complexa, mas porque todo mundo pôde mostrar um outro lado, além do que as pessoas já conhecem. O Kiko tocou piano, o Rafael fez os ‘backing vocals’ e regeu as orquestras do disco, eu toquei violão, o Aquiles tocou percussão, o Felipe tocou baixo ‘fretless’ e também canta as músicas com o Rafael, enfim, acho que esse trabalho traz as melhores performances de cada um.



A capa do disco é cheia de detalhes e símbolos. Vocês deram alguma orientação para a Isabel Amorim (que também já fez as capas de “Rebirth” e”Hunters anf Prey”)? Ela explicou o que quis dizer com tudo aquilo?



Edu Falaschi: Foi dada uma orientação pra ela de acordo com o conceito do álbum, um direcionamento em relação às cores e símbolos que nós queríamos. Mas já confiamos bastante no trabalho dela e o resultado ficou muito bom.



As diferenças musicais já foram citadas, mas e quanto no espírito do Angra? O que mudou entre os lançamentos de “Rebirth” e “Temple Of Shadows”?



Kiko Loureiro: O espírito é o mesmo, né. O conceito da banda a gente tenta manter desde o começo, que é essa coisa da liberdade de expressão, de que todo mundo pode trazer suas idéias. A gente gosta de ouvir outros estilos de música, tem uma liberdade irrestrita. Na hora de compor e de ensaiar, todo mundo vem com idéias bem diferenciadas e conceito do Angra sempre foi esse, aceitar isso e tentar fazer alguma coisa diferente dentro do Heavy Metal.



Já que existe toda essa liberdade, o Felipe, Aquiles e Edu participaram mais do processo de composição dessa vez?



Felipe Andreoli: A minha participação é maior na hora dos arranjos. Acho que uma banda que tem Rafael, Edu e Kiko não precisa de mais compositores. Eu e o Aquiles temos algumas idéias que estão registradas já e que talvez sejam usadas num próximo disco. Mas eu acho que não amadureci o suficiente como compositor para trazer idéias à altura, então a nossa contribuição ficou na parte dos arranjos. Nunca cheguei com uma música pronta pro Angra.



Rafael Bittencourt: Mas essa participação nos arranjos é muito importante. Um disco só é o que é pela contribuição individual dos integrantes. Quando a gente começa a compor uma música já existe uma estrutura, mas que não chega nem perto do resultado final, graças aos detalhes e a contribuição de cada um.



Existe alguma música preferida?



Rafael Bittencourt: Eu estou curtindo o disco inteiro. É um trabalho que vicia. Por isso já está havendo uma polêmica, alguns pais já estão preocupados. Depois de três vezes que você ouve o CD, não consegue mais parar, chora quando desligam... Então isso é um pouco preocupante (risos).



Felipe Andreoli: A minha preferida é “Shadow Hunter”.



Aquiles Priester: Pra mim, na verdade são duas: “Temple Of Hate” e “Angels and Demons”.



Edu Falaschi: Na verdade eu não tenho nenhuma preferida, ouço o disco inteiro de cabo a rabo. Mas pelo vocal, acho que a que eu mais cantei foi “Waiting Silence”.

Kiko Loureiro: Eu também gosto de todas, mas posso citar uma que ficou bem legal que foi a “Late Redemption”, que traz a participação do Milton Nascimento. Foi um orgulho muito grande ter um dos maiores cantores e compositores do Brasil no nosso CD.



Rafael Bittencourt: Aliás, eu queria mandar um abraço pra ele.



Edu Falaschi: É isso aí, Miltão. Obrigado pela participação. Depois a gente leva aquele brinquinho pra sua galinha (risos gerais).



Rafael Bittencourt: Isso aí é sério. Deixa eu explicar pra não acharem que estamos tirando sarro. É que tem uma galinha de plástico, a Zilá, que ele sempre leva quando vai gravar, e ela recebe adereços de alguns amigos do Milton. Aí ele pediu uma pulseira de Heavy Metal pra colocar na galinha e estamos devendo (risos).



E como foi trabalhar com artistas tão distintos como o próprio Milton Nascimento, que é um ícone da MPB, e com Kai Hansen (ex-Helloween, Gamma Ray) e Hansi Kürsh (Blind Guardian), que são ícones do Heavy Metal?



Rafael Bittencourt: Foi bem legal. A gente quis mostrar os contrastes mesmo nesse CD, ir aos extremos. Por isso que ele é tão sofisticado. Por exemplo, nas partes mais pesadas, buscamos influências de Death Metal e tal. Já em outros momentos, a sonoridade é realmente bem brasileira. E essas influências verdadeiras, estão incorporadas no nosso estilo, não fazemos isso para agradar as pessoas.



Vocês já estão acostumados a gravar no exterior, mas “Temple Of Shadows”, foi quase todo gravado aqui no Brasil. Existe alguma preferência por parte da banda? É o próprio Angra quem decide qual vai ser o esquema de trabalho?



Felipe Andreoli: A gente pensou bastante nesse assunto, pesamos os prós e os contras de gravarmos aqui ou lá fora, no estúdio em que gravamos o “Rebirth”. Decidimos gravar aqui no Brasil mesmo, no Mosh. Em termos de equipamento e tecnologia, o estúdio não deve nada a nenhum do mundo.



Aquiles Priester: Quando estávamos discutindo onde gravaríamos, eu votei por gravar aqui porque teria a chance de usar essa batera da Mapex, que é a única desse modelo na América do Sul [aponta para a bateria atrás dele]. Eu acho que valeu a pena porque quem ouve o disco percebe que o som da bateria está em outro patamar.



Mas e você Edu, porque gravou na Alemanha?



Edu Falaschi: Porque o melhor microfone do mundo só tinha na Alemanha! Não, é brincadeira! (risos). Na verdade a gente teve que fazer uma pausa na produção porque o Dennis Ward [produtor] estava em turnê com o Pink Cream 69. Aí como ele já estava lá na Alemanha, eu fui com o Rafael fazer as vozes. Ficamos uns 40 dias lá, enclausurados no estúdio, numa fazenda. Nos concentramos bastante no trabalho e o resultado foi 100%.



A turnê de “Rebirth” durou quase dois anos e acabou sendo transformada em CD e DVD. Qual a previsão para a de “Temple Of Shadows”?



Edu Falaschi: A previsão é levar essa turnê até Maio do ano que vem. Aí a gente já entra em estúdio de novo e começa a turnê do próximo disco ainda em 2005. A gente tem muita música sobrando e não quisemos fazer um CD duplo. Então não queremos demorar muito pra gravar o próximo disco. Vai ser nessa mesma linha, mais Prog.



Vocês investiram bastante no Progressivo em “Temple Of Shadows”, mas ao mesmo tempo existem faixas bem mais pesadas como “Temple Of Hate”...



Edu Falaschi: É, o diferencial desse álbum é esse. A gente tava um pouco afim mesmo de sair um pouco dessa coisa do tradicional, Metal melódico e mostrar um outro lado. Quando fizemos a divulgação desse álbum no Japão, por exemplo, um dos críticos mais conceituados de lá disse que esse disco é o divisor de águas entre o passado e o futuro do Metal melódico. Então isso nos deixa muito felizes porque era exatamente o que a gente queria passar.



Felipe Andreoli: Falando ainda sobre essa diferença entre as músicas, o Angra sempre foi e sempre vai ser uma banda de Metal melódico, pelo menos até onde eu sei (risos). Então sempre vão existir músicas mais tradicionais, além dessas outras mais complicadas e diferenciadas.



Edu Falaschi: Na verdade a frase é: “Temple Of Shadows” transcende os limites do Metal melódico. Essa foi a frase que usaram no Japão.



Obrigado pela entrevista. Deixem uma mensagem aos fãs e aos que acessam o Rock online. O espaço é de vocês.



Edu Falaschi: A gente está muito feliz de estar aqui com vocês de novo. Esperamos que os fãs curtam essa turnê. Queria mandar um abraço, de coração, a todos que aguardaram o novo disco.

Comentários (7)

angra
1. angra 23/10/04 13:41

Peço desculpas por repetir a foto e a mesma informação, mas tive problemas
"técnicos" com o flogão hoje. Valeu, obrigado e um grande abraço a todos!
:-)

flavinhahehe
2. flavinhahehe 23/10/04 13:58

:)
eh!
angra..

maidengirl
3. maidengirl 23/10/04 18:19

Show do Angra hj aqui em Salvador!
Esse CD ta lindo :~~~~
Esse flogão ta show o Angra merece esse reconhecimento:)
Se puder comenta no meu e adciona Flw!
Bjus :****

flogmetal
4. flogmetal 23/10/04 20:04

*****!!!!!!!!!!!!!
Os caras resolveram inovar mesmo!!!
São muito bons!! Isso que falta para as bandas no mundo, inovação, sair da
mesmisse!!!!!!

kikoloureiro
5. kikoloureiro 23/10/04 21:08

TAh legal essa fotuh d novo...
De vez em quando dah uns problemas assi comigo tb...
Flw!!

trocinhodamamae
6. trocinhodamamae 24/10/04 2:56

melhor banda do brasil
kisses for all

angelmetal
7. angelmetal 24/10/04 17:58

E AI BLZ???? MUIIIITO 10 SEU FLOG ... KURTO MUITO AS MATERIAS ....

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.