arylokinha | Perder-se também é caminho. .
    23/06/11 13:38Denunciar

    Perder-se também é caminho. .


    . . . Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro.



    Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos.
    Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso.
    Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos.
    Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.
    Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.
    Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.
    Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.
    Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir.
    Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
    Já tive crises de riso quando não podia.
    Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva.
    Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar.
    Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.
    Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz.
    Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.
    Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade... Já tive medo do escuro, hoje no escuro "me acho, me agacho, fico ali".
    Já cai inúmeras vezes achando que não iria me reerguer, já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais.
    Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo.
    Já chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri que não eram... Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.
    Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
    Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!
    Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
    Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão.
    Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!
    Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes.
    Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.




    ..Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final. Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido
    das outras etapas que precisamos viver. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos - não importa o nome que damos, o que importa é deixar no
    passado os momentos da vida que já se acabaram. Foi despedido do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país?
    A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?
    Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu. Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que
    levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para
    todos: seus pais, seu marido ou sua esposa, seus amigos, seus filhos, sua irmã, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos
    sofrerão ao ver que você está parado.
    Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco. O que passou não voltará: não
    podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais.
    As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora. Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir
    recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem. Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo
    invisível, do que está acontecendo em nosso coração - e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.
    Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
    Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos. Não espere que devolvam algo, não espere que
    reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que
    mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.
    Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são
    adiadas em nome do “momento ideal”. Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará.
    Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.
    Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante. Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque
    simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.
    Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.
    (Gloria Hurtado)



    . . . Deus, obrigada por tudo!
    Mais um ciclo se iniciando...





    ( . . . Quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora, pois tudo passa a acontecer dentro de nós./ sz Douglas)

    arylokinha não permite ver os comentários desta foto.

    Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.