Blog

Rodovia Washington Luís

por beratabus em 17/09/06 - 00h:17m

Inaugurada em 1928, a primeira rodovia asfaltada do Brasil e, posteriormente, incorporada pela atual BR 040, que liga o Rio de Janeiro a Belo Horizonte e Brasília, cujo trecho, da Cidade Maravilhosa até Juiz de Fora, foi concedido à iniciativa privada, em 1996.
Pelos idos de 1926, o presidente da República, Washington Luís, declarava à Nação que "governar é abrir estradas, num país em que, em 1927, tinha 93.682 automóveis e 38.075 caminhões. O Distrito Federal e o Estado do Rio de Janeiro somavam 13.252 automóveis e 5.452 caminhões.
A estrada Rio-Petrópolis constituiu-se numa das prioridades, notadamente pelo fato de a imprensa fazer pesadas críticas pelo abandono do caminho à Cidade Imperial. Não era para menos: as enxurradas de dois verões levaram a areia e o saibro de macadame da serra, enquanto a tabatinga da Baixada abria-se em sulcos intransitáveis. Um dos jornais comentava o retrocesso, naquela época em que as baratas, cupês e cabriolés voltavam a subir, a bordo dos vagões da Leopoldina.
A picareta, a pá, a enxada e as carrocinhas de burros eram os instrumentos de trabalho, numa fase de surto de malária na Baixada, sem esquecer o frio da serra de Petrópolis. Os operários ocupavam improvisados alojamentos no alto da montanha.
Com oito metros de largura de plataforma, a Rio-Petrópolis era inaugurada pelo presidente Washington Luís, em 25 de agosto de 1928, ao lado de seis ministros e de autoridades regionais. No dia seguinte, domingo, nada menos do que 1.783 carros passavam pela estrada, levando um cronista social a compará-la a uma Avenida Central, devido às enormes filas, vagarosas. Dois dias depois, numerosos caminhões assustavam os usuários, temerosos dos perigos das alturas. Três anos adiante, os 22 km da serra começavam a receber revestimentos de concreto. Três viadutos venceram as profundas grotas existentes, pela ousadia com que conduziram o concreto desfiladeiro abaixo.
A antiga Rio-Petrópolis foi considerada, por muito tempo, a melhor rodovia da América do Sul. De Petrópolis a Juiz de Fora, a rodovia BR 040 corta cinco municípios, num percurso de 138 quilômetros, com volume de tráfego de sete mil veículos/dia e menor índice de cargas, em relação a Rio-Bahia, segundo informação do DNER.Suas obras tiveram início em 1975 e concluídas cinco anos depois, seguindo longo percurso em região montanhosa, plana, ondulada, com trechos de pista simples (7,20 m) e duplas (14,40 m), de largura.
Em 1º de março de 1996 foi privatizada, pelo prazo de 25 anos. A Concer, empresa ganhadora da licitação, assegura o investimento de US$ 760 milhões, durante o contrato, sendo US$ 300 milhões em obras de recuperação, melhoramentos e ampliação da capacidade de tráfego e o restante na operação da rodovia. Das três praças de pedágio, duas se localizam em território fluminense - kms 104 (Duque de Caxias), 45 (Pedro do Rio) e um em Minas - 814 (Simão Pereira).
Segundo empresa, ano passado foram recuperados cerca de 600 mil m² de grama e hidrossemeadura, além de obras de recuperação estrutural em território mineiro.
Em comendador Levy Gasparian, na divida do território fluminense com o mineiro, a 130 km do Rio de Janeiro e a 440 km de São Paulo, destaca-se o bonito chalé em estilo francês, construído em 1860.
Trata-se do Museu Rodoviário, localizado próximo às margens do rio Paraibuna, em Mont'Serrat, no km 146, da União Indústria, inaugurado em 23 de junho de 1972

Ver todos