23/06/05 - 18h:53mDenunciar

*Tantos homens me amaram bem mais e melhor q vc!*

Eu e minha aBiga linda Lú! =P

Num pagode em plena Festa do Pinhão...=I AdOOoOOro!

AmO essa fofa!companheirona de pagodes e festas e comilanças e td...

Luzinha conhecer vc a deza e a pualinha foi a melhor coisa q podia me acontecer esse ano! =D

É parece q o semestre tá acabando...Mas amanha tenho duas provinhas de genética!=P

Bom fim de semana pra td mundo...

Bom pagode!

Bom restinho de Quinta feira!



Quando o amor atrapalha:

Escutei no rádio, semana passada, a entrevista de uma banda de rock. Ela faz um som pesado, mas todas as canções – todas – tratam sobre dor de cotovelo. Poderiam ser cantadas pelo Nelson Gonçalves e virar bolero. Eles explicaram pro locutor que as idas e vindas do amor atormentam a vida de todos, e não há por que não cantar isso. Roqueiros também se apaixonam.

Idas e vindas, encontros e desencontros, ilusões e desilusões, expectativas e frustrações. Não quero ser agourenta, mas é nisso que se resume as relações amorosas, a maioria delas. O que não deve desestimular ninguém. Ou é isso, ou nada. Nada. O lado esquerdo do peito vazio. Alguém se habilita?

Isso me faz pensar que o amor, tão magnífico, às vezes, atrapalha. Lembro uma vez em que uma amiga, na época ainda casada, ficou a fim de rever o ex-namorado, que por sua vez também estava casado. Ligou pra ele (na época não tinha internet). “Estou a fim de ver você”. Ele se embaraçou. Ficou a fim também, mas achou que daria confusão, que seria mexer em vespeiro. E ela: olha, eu não vou entrar na sua vida nem você na minha, portanto, podemos ser carinhosos e soltos um com o outro, sem medo. Tigrona.

Então eles ficaram, mataram as saudades e, depois, voltaram para suas casas, felizes e intactos. Quer dizer, mais ou menos intactos.

Quando ela me contou isso, pensei: essa garota ainda vai se machucar. Se machucou? Nem um arranhão. É bem verdade que se separou, mas já está casada outra vez. Tem hoje novos prazeres – e novos problemas, como em todo amor. Diz ela que aquela escapada foi aquilo mesmo: uma escapada. Entretenimento. Fuga da pressão que o amor coloca em nossas vidas. Sem pressão, fica tudo mais fácil. Não tão intenso, não tão espetacular – mas mais fácil.

Já o amor, de fácil, não tem nada. Ele se alimenta de concessões, ciúmes, planos pro futuro. O amor nos preenche mas também nos suga. Perturba. Amedronta. Fragiliza. Inquieta. Ô, coisa bem boa. Mas eta complicação.





#Quando você me quiser rever,já vai me encontrar refeita,pode crer.Olhos nos olhos,quero ver o que você faz,ao sentir que sem você eu passo,bem demais!!!Quero ver o que você diz,quero ver como suporta Me ver tão feliz!!!#



beijos beijos beijos beijos!=**



Comentários (0)

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.