07/10/04 - 00h:22mDenunciar

O fabuloso Phantom II

Já faz mais de 46 anos desde que o fabuloso Phantom decolou pela primeira vez em 27 de Maio de

1958. O F-4 Phantom II, o qual continua sendo utilizado para defesa por oito países, foi retirado de serviço das forças armadas americanas em 1996 finalizando um recorde de carreira de 38 anos. O primeiro usuário da aeronave fora a Marinha americana (US Navy) que lhe deu a função de interceptador, mas também sendo capaz de voar como um bombardeiro de suporte ao solo
pelos Fuzileiros Navais. A aeronave voou em praticamente todos os tipos de missões militares: superioridade aérea, suporte aéreo aproximado, defesa aérea, ataque de longo alcance, defesa da frota, ataque e reconhecimento. Ele podia voar missões curtas de treinamento ou surtidas de 4,5 horas como um "Wild Weasel" (Gênio Selvagem) na procura de sistemas de defesa terra-ar. Estrelando tanto na guerra do Vietnã como na operação Tempestade no Deserto, obteve um recorde de 280 vitórias ar-ar e a destruição de mais de 200 locais de mísseis e artilharia antiaérea. O "fantasma" foi ainda a primeira aeronave multiserviço, voando pela Força Aérea, Marinha e Fuzileiros Navais simultaneamente. Serviu como defesa de outros 11 países: Austrália, Egito, Alemanha, Grã-Bretanha, Grécia, Iran, Israel, Japão, Coréia do Sul, Espanha e Turquia. De 1958 até a sua aposentadoria nos EUA, ele voou mais de 17 milhões de milhas náuticas - o equivalente a uma aeronave voando continuamente por mais de 2000 anos (!!!). De 1958 até 1979, quando a linha de produção encerrou, um total de 5195 F-4 Phantom II foram construídos. Destes, 5057 saíram da linha de produção da McDonnell Douglas em Saint Louis, MO. Os últimos 138 foram construídos sob licença pela Mitsubishi Aircraft Co. no Japão. Os 21 anos de produção foi o mais longo recorde até ser ultrapassado pelo F-15 Eagle, que agora completa mais de 32 anos (1972 - 2004 e contando). O biplace e birreator supersônico F-4 voa a Mach 2 e pode carregar uma carga de até 16000 libras (aproximadamente 7250 kg) de bombas, foguetes, mísseis e armas. Os pilotos e tripulações que trabalharam com a aeronave o chamaram de vários apelidos, mas a maioria o batizou de "cavalo trabalhador" por ser uma aeronave com a qual podia-se contar, que fazia de tudo, que podia tornar o trabalho realizado e trazê-lo devolta para casa novamente.



Adaptado do endereço:

http://www.boeing.com/defense-space/military/f4/

Comentários (0)

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.