Roupa Nova e a crise da meia identIDADE

Hello Peoples!!!

Pois é....mais de um ano passou e agora estou de volta, pra falar das 'dores e alegrias' desta tumultuada vida de fã RNistica!

Hoje vamos falar sobre um mal que acomete as pessoas geralmente após os 50 anos (coincidentemente a media de idade dos nossos 'garotos').
A crise da meia identIDADE é uma doença composta de várias síndromes que fazem com que o indivíduo tenha disturbios de personalidade e aja de maneira estranha perante algumas situações.
Pra tudo poder ficar mais claro...vamos aos exemplos:

Falaremos hoje sobre o show realizado no ultimo dia 20, na cidade de São José dos Campos, interior de SP.
Clube lotado...já passa de meia noite...e o Roupa Nova (atrasado), instiga euforia na platéia afoita que começa a gritar "Começa!Começa!!!!", e se a longa espera causou raiva, esta logo desapareceu, assim que o telão começou a mostrar as imagens do sexteto,quase 30 anos atrás entoando "Você lembra...lembra daquele tempo eu tinhaaa...." e então todos sobem ao palco...tomam seus lugares, tocando e cantando...É, estão mudados...de magricelas ngm tem mais nada, os anos se passaram...As vozes continuam as mesmas, mas os cabelos...quaaanta diferença...os cabeludos agora já em são em sua maioria "pouca telha" ou carecas. Mas quem se importa? Afinal,como já nos é avisado logo no inicio....são 30 anos de carreira!!!
Já nas primeiras canções, podemos detectar o primeiro sinal da crise da meia identIDADE, no nosso ilustre baterista Serginho Herval. É a síndrome da festa junina....que faz com que o sujeito pense ser um legítimo caipira. vestindo uma camisa xadrez em varios tons de azul, flanelada e cheia de bolsos...Serginho só deixou a desejar numa coisa....faltou o chapéu...a palhinha na boca e o sotaque "Eeeeee mundo véio sem êRaa nem bêRaa!" E não pára por aí....pra completar o figurino de Mr. Herval...não poderia faltar o seu famoso 'cintomuito', que agora tem uma nova versão super ultra mega master blaster moderna, feita pelos mesmos criadores da liga X MAN, o acessório possui uma fivela em formato X, com um A dentro dele, quase do tamanho daquelas 'fivelinhas' de 'peão'. O equipamento é composto de mecanismos que acionados lançam lasers, e se bobear ainda é abridor de lata e canivete. Agora eu pergunto...pra quê tudo isso? Pq o antigo 'cintomuito' foi aposentado??? Simplesmente pq nosso batera adquiriu a 'sindrome de super heroi', que faz com que o individuo pense que faz parte da 'Liga da Justiça'. Serginho bota aquele 'cinturão' e então, se transforma no "Super-ADO!"...taí o motivo do A, dentro do X....Wolverine que se cuide!!!!
Mais algumas canções e detectamos mais um sintoma da crise....Feghali surge com sua guitarra rosa, anunciando a próxima canção que ele vai cantare nos lança um dilema "Essa guitarra é mtu gay né?" Bom....a guitarra em si não é...agora digamos que pra quem vai pela primeira vez num show do RN e vê aquele ser todo empolgado com uma guitarra rosa e ainda fazendo essa pergunta não vá botar muita fé na sua masculinidade...mas enfim, o sintoma apresentado nesse caso não é a 'viadice', mas sim a sindrome do vocalista, que faz com que o individuo ache que é o cantor de destaque do grupo, e se lance todo serelepe com uma guitarra rosa cantando "Cantar faz feliz o coração!!!" Na verdade....cantar...faz feliz o Ricardão!!!".
Mais canções...e mais crise! Nando interrompe "Clarear", tomado pelo sintoma da "sindrome do rapper", que faz com que o indivíduo pense que é um "MC" e desate a falar uma porção de coisas...aglumas com algum sentido e algumas sem qualquer conexão, tentando vez ou outra fazer uma rima! O jeito...foi ir no embalo do "MC Nandinho", curtir o 'batidão' e no final voltar a cantar "Um pouco de luz nessa vidaaa!!!".
E eis que nosso batera surge apresentando mais um sintoma da crise. Ele chega todo tooodo com seu modelito "Viva São João!!!", com microfone de mão sozinho no palco pra cantar..."Chuva de prata". Meio tímido no começo....logo depois ele vai pegando 'embalo', e quando vemos lá está ele feliz da vida, nos convidando a cantar com Sandy no telão...nessa hora vemos a sindrome do espectador, quando um individuo que está se apresentando pra milhares de pessoas, senta-se no canto do palco e fica olhando para o telão todo alegre vendo a Sandy cantar e falando pra gente "Cantem com ela!!!" (Então...virou o show da Sandy??? Ou será que Serginho apenas quis se dar o direito de assim como nós, poder assistir o show pelo telão assim de boa?). Logo em seguida nosso baterista, apresenta mais um sintoma clássico da crise de meia identIDADE...a sindrome do "cantor de axé", quando o individuo começa a balançar os braços pro alto freneticamente pra la e pra cá, pedindo desesperadamente pra galera acompanhar! Aliás, muitos cantores são portadores desta sindrome, mas foi a primeira vez que eu vi o Serginho lá na frente fazendo um "pralapraca"!rs
Seguem mais canções e avistamos mais um sintoma...desta vez é o nosso querido Paulinho, atacado pela "sindrome do Tô doido!", que faz com que um individuo, simplesmente aja feito...um doido...óbeveo! Nosso pequeno grande homem, tem um surto de empolgação e começa a rebolar,desmunhecar, fazer caras e bocas...dançar balé...correr...enfim...sintomas tipicos de um paciente "Tô doido!!!".
Estamos quase no fim do show, quando somos tomados pela 'sindrome infanto juvenil'...ouvimos um toque familiar...é o quê?...ILARIÊ!!! Sim...esta canção que faz com que os individuos voltem a ser crianças....que todos façam 'passinhos' de paquita e cantem "Pã!!! Pãrãrãrãrã-rããã!!!"
Ao final do show, o medley de canções internacionais, mostra que o nível de crise está alto. Primeiro...vem a sindrome do Rock...com Guns'n roses, depois a sindrome anos 60...com "Twist and shout" e ainda temos a sindrome "Embalos de sabado a noite", com todo mundo dançando ao som de Stayin Alive. Por fim...o show se encerra com "We are the champions"...é nessa hora que todos recuperam sua identidade, pois se lembram "Nós somos vencedores!"...É nessa que nós tb nos damos conta de que essa coisa de crise de meia identIDADE é pura brincadeira...afinal...todos guardam dentro de si, uma série de personagens e trejeitos que juntos formam a nossa essência. A do Roupa Nova é essa.... meio doidos, infantis, bregas, versáteis, únicos e sempre, sempre....TALENTOSOS!


Beijos á todos


Cris

Comentários (0)

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.