08/04/05 - 21h:30mDenunciar

Entre Anjos e Demônios [ IV ]

Durante perturbadores instantes, não obteve resposta e o local foi tomado pelo silêncio, salvo apenas pelo barulho da chuva que ainda caía insistentemente. Ofereceu uma mão estendida a Uriel para que este a acompanhasse até a ruína de um prédio para que ao menos a chuva não fosse o maior obstáculo (apesar de que na verdade, não era). Cedendo à vontade de encarar aqueles olhos, Uriel olhava-a tentando em vão parecer indiferente. Sem contestar, a acompanhou até uma parte do prédio destruído para se proteger da chuva, e sentou-se escostado na parede.



O avermelhado do céu era intensificado a cada trovejada que acompanhava os constantes raios. Era como se fosse a cor do sangue das milhares de vidas perdidas desde que os mundos se tornaram um só e Deus se mostrava ausente. Seus olhos pareciam vagos e desmotivados, porém não deixavam de ser despertados pela curiosidade. Finalmente, Uriel se atrevera a interromper o silêncio.



- Por que desceste do céu para amparar um anjo caído que pedera suas asas, Gloriael?



Pela primeira vez em muito tempo, pôde observá-la direito. A semelhança era surpreendente, porém as aparências enganavam, uma vez que as personalidades eram completamente opostas.



Foi então que Gloriael, pela primeira vez desde que pousara ao lado de Uriel, teve motivos para colocar em seus lábios um sorriso. Não respondeu de imediato, apenas olhou para o céu, e então novamente para Uriel.



- Não é preciso ter asas para ser um anjo.



Não aguardava uma resposta, se preocupava apenas com o ser que insistia em se condenar dentro da própria mente, e esconder-se por trás de si mesmo.

__________________________________________________________



• É, eu costumo começar as histórias mais para perto do meio. No(s) próximo(s) post(s) eu vou especificar o tempo, ambiente e situação em que tudo se passa. ^^

Comentários (0)

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.