18/07/06 - 22h:05mDenunciar

Wellington & Eu .......



Deu um abraço forte no seu urso cinza e chorou que nem uma criancinha de cinco anos que sofre porque está com rinite alérgica e tem que tirar os brinquedos de pelúcia do quarto. A realidade acabando com a brincadeira mais uma vez. Depois foi a vez das fotos, beijou uma por uma e guardou numa caixa, colocou a caixa num canto escondido e alto do armário, no mesmo canto escuro e esquecido por onde andava seu coração.

Olhou o lindo vestido novo e um flasback daquele reencontro valeu pelos dois anos de espera, mas pensou o quanto o vestido era feio porque nele continha lembranças de apenas alguns minutos de felicidade que nunca mais o colocaria no seu corpo. Olhou seus sapatos novos e pensou como seria triste usá-los sem nem saber direito para onde ir. Olhou sua velha cara no espelho e teve muita pena do quanto aquele rosto ainda ia esbugalhar os olhos para o teto lembrando que um dia ele falou “eu te amo”.

Vira e mexe ela tem uma vontade de sumir ou cortar alguma parte do seu corpo, essa parte seria o coração que bate a cada milésimo de segundo por ele, cortá-lo para ver se esguicha para longe esse sangue contaminado que incha seu corpo de dor e emagrece de vida. Tem vontade de fazer feridas porque parece mais fácil cuidar de um machucado externo e curável do que apagar todos os momentos únicos que viveram.

Outro dia desse ela estava num bar com um amigo e ele começou a falar de todos os filmes, livros e músicas que ela tanto queria que ele falasse. Porque seu jeito monossílabo tira toda a sua paciência e enlouquece a menina tão dona de si que apresenta para o mundo. No final da noite ela só queria estar ouvindo aquela merda daquele cd de Raça Negra, porque esses intelectuais de merda nunca chegam aos pés do lindo sorriso dele e nunca vão ter dela esse amor tão puro, tão absurdo e tão sem fim que ela tem por ele.

A fidelidade não é uma escolha e nem um sacrifício, ela é uma verdade. Por mais que ela tente, só sente nojo. Eles não se falam mais, ela nem sabe mais por onde ele anda, ela até tem o impulso de tentar de novo com outros homens, mas só sente nojo. Outro dia sua mãe perguntou notícias dele e quando ela falou que nem lembrava de quem se tratava sua mascara caiu no chão, seu coração acelerou e sua vontade louca de estar ali frente a frente com ele, a deixou com uma ressaca horrível no dia seguinte. Ela tem um milhão de motivos pra fugir de pensar nele, mas em todos esses lugares ele vai com ela. Às vezes ela tenta não ser ela, porque se ela não for ela, ela não sentira essa dor. Mas o amor é tanto que até as outras todas que ela pode ser também o sentem.

Hoje menos que ontem, amanhã menos que hoje, e por aí vai... E tanto tempo passou... Ainda sente ele dentro dela e toda a energia boa de vida que esta lembrança poderia gerar, mas essa energia sem escape, sem válvula, sem história, essa energia inocentemente transformada em ódio, só carrega ondas que ais corroem por dentro.

A verdade é que nada é inteiro porque até o inteiro para ser todo precisa ter seu lado vazio. A verdade é que não dá para fugir da dor, e ela continua correndo, correndo, correndo e não saindo do mesmo lugar, porque ele sempre dificulta as coisas...



Talita Reis

ianelice não permite ver os comentários desta foto.

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.