09/03/05 - 23h:38mDenunciar

Folhas voando no tempo...



Uma lembrança gostosa dos "Acústicos do Nenhum" do Theatro São Pedro". Mais um pedacinho da história, mais um tracinho na Espada de Samurai de Jajá - do fã-clube Sociedade Esportiva e Reacreativa Nenhum de Nós. O Nenhum é p sempre. Volta sempre. Já alguém q esteve lá naqueles dias... Fica p lembrar uma canção, q não tocou e nem é do Nenhum, mas tem td a ver com a nossa história, quando tínhamos "a nossa história"...



"Os dias são tão curtos, as estradas são tão longas. E o tempo passa..." (Culpa - Cardume/1989)





Relógios de Sol



Troco teu leite e mel

Por meu suor e algumas rugas

Me ajudas a sonhar

Te salvo de dragões

Troco um lugar no céu

Por vadiar nas tuas grutas

Me pregas uns botões

Eu trato de vender

Relógios de Sol

E compos de chuva

Punhados de azul

Receitas de ajuda

Uns quadros de Deus

Fatias de fruta-pão

Troco caçar leões

Por remendares meia

Me inventas um troféu

Eu trato de vencer

Solto meu barco ao léu

Das tuas velas prenhas

Me diz onde chegar

Eu vivo de aceitar

Retalhos de Sol

Caminhos de seda

Tecidos no chão

Das fibras da tua mão

Troco um desejo teu

Por um silêncio à luz da lua

Me infeitas vendavais

Eu quero iluminar

Um par de lampiões

Em troca de aventura

Me dizes que será

Eu faço o que puder

Relógios de Sol

Receitas de chuva

Uns versos de Deus

Uns quadros de frutas

Pedaços de chão

Das linhas da tua mão



(Nei Lisboa - Relógios de Sol)

jaja não permite ver os comentários desta foto.

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.