....

E enfim apaguei todos os registros guardados que tinha de ti. Seu cheiro, seu toque, seu sorriso, sua voz e sua risada que me serviam como canção de ninar. Fiquei alguns dias sem dormir, fiquei vários dias desejando não tê-los apagados da minha memória. Mas no final eu me acostumei. Me acostumei com a sua falta … Com seu silencio. No final, eu me acostumei com a sua ‘não existência’. Pois é como vivo hoje. Sem você.

Parece que quando você tá mal e quer ficar quieto aparece gente de tudo quanto é lado pra cutucar a ferida.

lucoelhinha não permite ver os comentários desta foto.

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.