10/12/06 - 18h:15mDenunciar

.



Crônica de amor

(Arnaldo Jabor)




"Ninguém ama outra pessoa (necessariamente)

pelas qualidades que ela tem.

Caso contrário, os educados, simpáticos...

teriam uma fila de pretendentes batendo à porta.

O amor não é chegado a fazer contas,

não obedece à razão.

O verdadeiro amor acontece por empatia,

por magnetismo, por conjunção estrelar.

Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada,

veste-se bem e é fã do Caetano.

Isso são só referenciais.

Ama-se pelo cheiro, pelo mistério,

pela paz que o outro lhe dá,

ou pelo tormento que provoca.

Ama-se pelo tom de voz,

pela maneira que os olhos piscam,

pela fragilidade que se revela

quando menos se espera.

Você ama aquela petulante.

Você escreveu dúzias de cartas que

ela não respondeu,

você deu flores que ela deixou a seco.

Você gosta de rock e ela de chorinho,

você gosta de praia e ela tem alergia a sol,

você abomina o Natal e ela detesta o Ano Novo,

nem no ódio vocês combinam.

E então?

Então que ela tem um jeito de sorrir

que o deixa imobilizado,

o beijo dela é "tudo de bom",

você adora brigar com ela e

ela adora implicar com você.

Ela diz que vai e não liga,

ela veste o primeiro trapo que encontra

no armário ...

Ela não tem a menor vocação para princesa e

ainda assim você não consegue despachá-la.

Quando a mão dela toca na sua nuca,

você derrete feito manteiga.

Ela toca gaita na boca,

adora animais e escreve poemas.

Por que você ama este mulher?

Ah, o amor, essa raposa.

Quem dera o amor não fosse um sentimento,

mas uma equação matemática:



eu lindo + você inteligente = dois apaixonados.



Não funciona assim.

Amar não requer conhecimento prévio

nem consulta ao SPC.

Ama-se justamente pelo que o Amor

tem de indefinível...

E ninguém consegue ser do jeito

que o amor da sua vida é!"



** ** **













***** **** *** * *** ***



*** *** * *** ** ***



*** ** **** ****

















********************************



"DIZ PRO MEU OLHAR"

"Quantas vezes em silêncio,desejei sumir daqui

Ir buscar meus sonhos em outro caminho

E ao abrir aquela porta pra sair eu me toquei

Que nas ruas eu estava mais sozinho

Já dormi em outros braços,mas não pude te esquecer

O meu coração queimava feito brasa

Parecia um pesadelo viver longe de você

E é por isso que voltei pra nossa casa

De saudade toda noite eu chorava

Não vou mais deixar,outro amor assim me machucar...



Diz pro meu olhar,se vai me perdoar

Quando penso em nos dois,eu sinto raiva do que fiz

As lembranças vem molhar o meu sorriso

Tudo que eu mais queria estava perto e eu não vi

No inferno é que se vê o paraiso

Hoje eu sei tudo que quero e que preciso..."



((Zezé di Carmargo & Luciano))

********************************











By Ma|uKo

.

maluko não permite ver os comentários desta foto.

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.