11/10/06 - 14h:39mDenunciar

Feliz dia das crianças rss

-ah, eu tive infância sim!

-e vcs?





-E eu vou eh aproveitar o feriadão rss...

------------------------------------
-------------







Uma jóia mais radiante que a lua

Abaixou sua máscara para mim

A mais sublime criatura dos deuses, cheia de fogo

Gostaria de maravilhar-se criando sua Rainha

Inspirando o ar com sua fragrante luxúria

E meu coração balançou com poesias ameaçadoras



Da graça eu me apaixonei por Ela

Perfumada e traiçoeira isca

E olhos silvestres de jade que acompanharam no mais impuro

Erótico, fantasias carregadas entre esta noite quente de outono



Ela me acalmou para longe do magnífico mascarado

E juntos nós agarramos na sangria ao luar

Perolada lua, que feitiço tu jogaste em mim?

Seu beijo gelado ferveu meu pescoço

Como ondas murmurantes na praia de Acheron

Em um remoinho de vozes doces e estátuas

Que ilusionou as árvores mortais

Essa devassa sedutora de preto, me pegou

Em um pálido alvor como o renascimento de Ligeia

Eu me libertei do meu sono - sepulcro

No mar obscuro onde a rocha simboliza, solitária

O fantasma deplorado Dela

Espantado e frágil, ainda repleto de paixão

Eu desejei pelo prelúdio do passado

A maldição do desassossegado e sua ardente carícia

Vieram muito mais do que minha alma podia suportar....



Eu, imediatamente me empenhei para vê-la de novo

Ativo devido a inércia da meia-noite

Não sabendo sequer o nome dela

Em um estreito precipício acima do abismo carnal

Eu dancei como um coroinha cego

Bêbado pelo vinho vermelho, seus lábios mortos nos meus

Cheio com o perfume da noite



Por horas eu percorri o cercante jardim

Em vão aquilo que nós deveríamos encontrar

Quando nuvens de tempestades quebram, exauridas

Eu procuro refugo em um cemitério



Durmo, tenho premonições

Sinal de pesadelos de um plano inferior sem sol



Ama da escuridão

Eu agora sei o que tu és



Gritos assombram meu sono



Retrato da Condessa Morta



Profunda dor manchada aquela que eu tinha sonhado

Ostentada morte, punição da vida

Saída um pouco forte para lacrar este infame túmulo....



Mas o equilibrado néctar dentro de minha revolta

O desejo se aquece e mórbido propósito a procurar

Até o fim cortinas cobertas de teias para onde ela desmaiou

Deusa do cemitério, da tempestade e da lua

Na impecável beleza fatal de seu rosto constrangido

Visões de um paraíso onde fantasmas acompanham desumanos

Para tristeza a perda de deus no mais negro veludo

Inscrito em suas quedas como uma veloz silhueta









\"Fugitiva, assombrada

Tu és particular para o meu pecado\"

[Ouvindo: Cradle Of Filth - Cruelty Brought Thee Orchids]

mennynna não permite ver os comentários desta foto.

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.