10/12/17 18:22Denunciar







Orientações básicas para o encaminhamento de adoção de cães e gatos
1. Faça uma entrevista cuidadosa com o candidato à adoção a fim de verificar se o mesmo tem condições de tutelar o animal, inclusive indo ao local onde ficará o cão ou gato. Não entregue o animal sem que o adotante tenha respondido a um Questionário de Adoção e assinado um Termo de Responsabilidade. Modelo destes documentos pode ser baixado clicando-se aqui. O termo, além de representar certa proteção jurídica ao animal, tem um efeito psicológico importante junto ao candidato ao reforçar a seriedade do ato de adoção e do comprometimento com o animal. Estas medidas buscam evitar que estes sejam vítimas de crueldades, sendo adotados para rinhas, procriação, venda, rituais, etc. Imprima a página sobre Adoção Consciente do Olhar Animal, para entregá-la ao candidato.
2. Se o adotante declarar que deseja animal não castrado, busque conscientizá-lo sobre a importância da esterilização. A ação educativa é tão essencial quanto a de castração. O Olhar Animal remete mensagem automática sobre o tema a todos que nos enviam este Formulário de Adoção, mas é importante reforçar. E jamais doe um animal não castrado.
3. É bastante comum o pedido de animais de raça. Os motivos variam, algumas vezes a referência é feita pelo candidato apenas para indicar o porte desejado. Outras, para indicar o tipo de comportamento esperado. Mas é comum estar ligada exclusivamente a aspectos estéticos. Isso se deve à falta de consciência e sensibilização dos adotantes para o valor intrínseco dos animais. E isso só mudará pelo trabalho educacional, pela mudança de valores. Portanto, considere estes pedidos como, no mínimo, uma boa oportunidade para a conscientização. Muitos são bons adotantes. Inclusive, vários tem sido os casos em que, após uma boa conversa, o candidato resolve adotar um SRD. O Olhar Animal indica a leitura de artigos sobre o tema a todos os candidatos que pedem animais de raça.
4. Caso o candidato declare ter havido a morte de outro animal, informe-se detalhadamente sobre o motivo do óbito, prevenindo futuras contaminações por doenças como cinomose e parvovirose, sendo que no caso desta última o vírus sobrevive no ambiente por um período superior a 6 meses.
5. Esclareça ao adotante que a aplicação de vacinas polivalente e antirrábica deve ser anual. É comum acreditarem que, ao receberem um animal vacinado, nunca mais terão que vaciná-lo.
6. Tenha cuidado especial com pedidos para filhotes de gato todo preto (usado em rituais, especialmente os não castrados) e qualquer animal de raça não castrado, para que não seja usado para procriação. Gato todo branco também é usado em rituais, com práticas que vão do corte das orelhas ao sacrifício.
7. Não permita que o internauta adote um animal para entregá-lo a terceiros sem que a pessoa que vai receber o cão ou gato saiba desta intenção. A surpresa pode resultar em abandono ou outros problemas, seja pelo desconhecimento que o verdadeiro adotante tenha sobre aspectos da guarda responsável, ou mesmo por ele simplesmente não desejar o animal.
8. Se o candidato for menor de 18 anos, sempre fale com a pessoa responsável por ele. A responsabilidade civil e criminal sobre o que ocorrer com o animal após a adoção será desse responsável, não do menor.
9. Se o animal for viver em um apartamento ou mesmo numa casa com janelas altas, verifique se essas estão com tela de proteção.
10. Finalmente, sempre esclareça ao candidato que animais não são objetos. São seres sensíveis e com consciência própria, não um produto que pode ser trocado ou jogado fora ao apresentar “problemas” ou tornar-se “obsoleto”





mulheresquesou não permite ver os comentários desta foto.

Apenas quem tem uma conta no Flogão pode comentar.

Crie sua conta gratuita no Flogão!