Blog

Curiosidades

por oreileao2 em 10/12/05 - 05h:11m

Quando entrou em produção nos Estúdios Disney, O REI LEÃO era um projeto com que ninguém realmente se importava. Na época, a idéia era fazer um filme realista sobre os leões na selva, estilo documentário do Discovery Channel. Poucos executivos viam algo bom no projeto, e o próprio produtor Don Hahn encontrou dificuldades em convencer os artistas do estúdio a participarem do mesmo. Durante sua produção O REI LEÃO foi considerado um projeto B no estúdio, com os maiores nomes trabalhando em POCAHONTAS, que era previsto como o grande filme.

• Originalmente chamado “King of the Jungle” (O Rei da Selva), o filme seria sobre leões africanos vivendo na selva, até que o time da produção percebeu que leões não vivem na selva. Interessantemente, algumas camisetas vendidas nas Disney Stores ainda trazem a frase “King of the Jungle”.
• Considerando que os recentes sucessos do estúdio haviam sido baseados em histórias já familiares com o público, como A PEQUENA SEREIA e A BELA E A FERA, os executivos temiam que uma história original e desconhecida como O REI LEÃO não fosse chamar o público ao cinema.
• O diretor original do filme seria George Scribner, o diretor de OLIVER E SUA TURMA (1988).
• A idéia para uma história africana contada com leões tinha estado em desenvolvimento no estúdio desde 1989 em várias formas e sob diversos títulos. Depois de três anos, centenas de desenhos, milhares de páginas de script e uma viagem de pesquisa para a África, a clara história de Simba ainda não havia surgido. Então chegaram os dias decisivos no início de 1992, quando os diretores Roger Allers e Rob Minkoff e o produtor Don Hahn se trancaram em um escritório no estúdio com os diretores de A BELA E A FERA Gary Trousdale e Kirk Wise e a supervisora de história Brenda Chapman-Lima junto com muita pizza e folhas de papel. Dois dias depois, uma história emocionante finalmente começou a surgir.
• O REI LEÃO é ligeiramente inspirado em “Hamlet” de William Shakespeare: a história de um jovem príncipe cujo tio assume o reino após matar o pai do rei/príncipe. Depois de ficar longe de casa para um longo período, esses eventos levam aos planos do príncipe por vingança. O príncipe recebe conselhos do fantasma de seu pai. Outra referência ocorre durante a cena em que Zazu canta “I´ve got a lovely bunch of coconuts”, onde Scar segura uma caveira em suas mãos.
• A conexão com Hamlet desafiou os cineastas a re-examinar a jornada interna de Simba. “Nós decidimos que deveria ter uma cena ‘ser ou não ser’, e foi a última cena criada para o filme” diz o diretor Rob Minkoff. “Depois de Mufasa visitar Simba e vai embora, Simba é deixado se questionando o que fazer. Esse literalmente se tornou nosso momento ‘ser ou não ser’. Tudo depois disso se tornou sobre ser tão bom quanto essa cena”.

• Outra fonte de inspiração para os artistas foi o clássico animado de Walt Disney BAMBI. Elementos como o ciclo da vida de nascimento, morte e renovação foram retiradas do filme de 1942. De fato, durante a produção O REI LEÃO era chamado de “Bambi na África”.
• Quando a escritora Irene Mecchi foi trazida a bordo da produção, ela foi dita que o filme seria “Bambi na África encontra Hamlet”, ou “Bamblet”, como ela apelidou.
• O pai do diretor Roger Allers faleceu durante a produção do filme, o que levou aos artistas resolverem dedicar o filme a todos os pais.
• Em novembro de 1991, uma parte da equipe de produção de O REI LEÃO viajou para a África a fim de descobrir o mundo dos personagens por si mesmo. Armados de lápis, pincéis e folhas de papel, eles voltaram com pilhas de desenhos inspirados pelo local, além de uma compreensão muito maior e um vínculo emocional com o lugar.

• Cenas cortadas ainda durante o processo de storyboards incluem:
- Uma versão alternativa da abertura, sem a famosa canção “Circle of Life” e baseada em diálogos, especialmente do pássaro Zazu.
- Mufasa cantaria uma canção chamada “To Be King”, mas foi cortada pois não era apropriada para a voz de James Earl Jones.
- Antes de “Hakuna Matata” ser escrita, Elton John e Tim Rice compuseram uma canção chamada “Warthog Rhapsody” (Rapsódia do Javali), que introduziria a vida despreocupada da dupla para Simba. A canção chegou a ser gravada por Nathan Lane, Ernie Sabella e Jason Weaver, mas foi cortada ainda no estágio de storyboards. Quase dez anos mais tarde, a canção foi reaproveitada no filme O REI LEÃO 3: HAKUNA MATATA (2003), com as letras modificadas e Timão como intérprete.
- Versão alternativa da canção “Hakuna Matata”, contendo um verso adicional contando a história de Timão.
- Uma pequena cena na qual Simba, Pumba e Timão jogam futebol com insetos na floresta.
- Uma versão diferente da cena em que Simba volta para enfrentar Scar. O leão é seguido por Nala e Pumba na sua jornada, apenas com um relutante Timão sendo deixado para trás. A cena foi mais tarde reaproveitada em O REI LEÃO 3: HAKUNA MATATA (2003).

• A versão original do prólogo, com a apresentação de Simba, seria uma cena baseada em diálogo, sem muito do esplendor da versão vista no filme. Quando o compositor Hans Zimmer preparou sua interpretação da canção “Circle of Life”, ele fez uma versão estendida para ter certa flexibilidade no momento de editar o filme. Os produtores ficaram tão impressionados com o trabalho que resolveram modificar toda a abertura para que eles pudessem usar todo o trabalho feito por Zimmer.
• A canção “Can You Feel The Love Tonight” passou por diversas mudanças durante a produção. Durante um ponto, ela seria cantada por Timão e Pumba, para o horror de Elton John.
• À medida que a história avançava, o desafio chegou para os animadores quando eles perceberam que não animavam personagens de quatro patas há anos. Os produtores então trouxeram leões de verdade para o estúdio para serem estudados pelos artistas. Animadores viajavam para o Zôo de Los Angeles quase semanalmente para estudar os pontos de locomoção de javalis ou da anatomia de suricates.
• Nathan Lane e Ernie Sabella fizeram testes para as hienas Shenzi e Banzai (interpretadas no filme por Whoopi Goldberg Cheech Marin), mas os diretores adoraram tanto a performance dos dois e acharam que eles funcionariam melhor como a dupla cômica Timão e Pumba.
• A fala de Timão “What do you want me to do, dress in drag and do the hula?” (O que você quer que eu faça, me vista de mulher e dance a hula?) foi improvisada por Nathan Lane.

• Originalmente, as hienas Shenzi e Banzai seriam interpretadas por Tommy Chong e Cheech Merin, mas os diretores não conseguiram contratar Chong, então escalaram Whoopi Goldberg no lugar.

• Ao fim da gravação da canção “Be Prepared”, Jeremy Irons tinha acabado com suas cordas vocais. Assim, Jim Cummings interveio e finalizou a parte vocal de Scar na linha “You won´t get a sniff without me!”

• Diversas aproximações visuais diferentes foram estudadas durante a produção. A primeira evocava um estilo semelhante ao utilizado em A BELA ADORMECIDA (1959). Outro conceito era fazer os cenários estilizados, a fim de evocar a natureza gráfica e colorida dos padrões de tecidos africanos e artes tribais. No entanto, isso deu ao filme uma qualidade excessivamente estilizada, o que levou o time de produção a optar pelo estilo épico e místico, inspirado em grandes produções como LAWRENCE DA ARÁBIA de David Lean.
• Inspiração para as paisagens do filme foi retirada do Hell’s Gate National Park no Quênia.
• Produzida utilizando então-inovadores efeitos de computação gráfica, a cena do estouro da manada de gnus levou três anos para ficar pronta. Um novo programa de computador teve que ser feito para a produção da cena, que permitia centenas de animais gerados pro computador a correrem sem colidirem nos outros.
• Para dar maior autenticidade para a trilha sonora do filme, o compositor Hans Zimmer pediu a ajuda de seu amigo sul-africano Lebo M. Os dois haviam trabalhado previamente juntos no filme de John G. Avildsen O PODER DE UM JOVEM (1992). O grito escutado na abertura do filme é de Lebo M, que também pode ser escutado em todas as versões internacionais do filme. Ele também escreveu o cântico africano que acompanha muito da trilha e canções do filme.
• Os nomes de diversos personagens são baseados em palavras em Swahili:
-Simba: Leão / Guerreiro Corajoso
-Sarabi: Miragem
-Shenzi: Bárbaro / Selvagem / Não-civilizado
-Rafiki: Camarada / Amigo
-Pumbaa: Ignorante / Preguiçoso
• Simba diz para Scar (Jeremy Irons) “You are so weird” (Você é tão esquisito), para qual Scar responde “You have no idea!” (Você não faz idéia), a mesma resposta dita por Irons em O REVERSO DA FORTUNA (1990).

• James Earl Jones (Rei Mufasa) e Madge Sinclair (Rainha Sarabi) interpretaram os papéis de Rei e Rainha em UM PRÍNCIPE EM NOVA YORK (1988).

• As partes mais melancólicas da trilha usam muitos elementos de Requiem de Mozart.
• A cicatriz no olho de Scar está exatamente no mesmo lugar da cicatriz do personagem de Al Pacino, Tony Montana, no filme SCARFACE (1983).
• Se você prestar atenção na cena em que Simba vai saudar seus súditos após a derrota de Scar, pode perceber que o bico de Zazu se move quando ele se inclina para fazer a reverência. Originalmente ele diria “Vossa Majestade”, mas a fala foi descartada e a animação mantida.
• O primeiro filme da Disney a representar a morte de um personagem (Mufasa) na tela. Anteriormente, a morte de um personagem ocorria fora da tela ou era implícita. Mais tarde em POCAHONTAS (1995), a morte de um personagem humano é representada.

• Rumores dizem que durante a cena na qual Simba colapsa no penhasco após seu diálogo com Timão e Pumba sobre as estrelas, o pó que voa do penhasco forma a palavra SEX (sexo) no céu. Na verdade, as letras formadas são SFX, uma abreviação de “special effects” (efeitos especiais) e uma homenagem ao respectivo departamento de animadores no estúdio. Para o lançamento em DVD a cena foi modificada, sendo que nenhuma palavra é formada nos céus.
• Um dos insetos que Timão tira de um tronco durante a cena “Hakuna Matata” possui orelhas do Mickey Mouse.

• Para o lançamento nas telas de formato gigante IMAX no Natal de 2002, o filme foi restaurado diretamente de seus arquivos digitais. Além disso, diversos cenários foram retocados para a adição de maiores detalhes, assim como o clean-up de alguns personagens aperfeiçoado. Algumas cenas também foram parcialmente ou totalmente re-animadas, entre elas:
-A tomada dos passarinhos saltando das bocas dos jacarés no número “I Just Can’t Wait To Be King” foi totalmente refeita. Aparentemente os diretores não estavam felizes com o design original da mesma.
-A tomada de Scar observando a saída de Mufasa e Simba do Cemitério de Elefantes foi ligeiramente alterada. Agora ele move sua cabeça, enquanto na edição original ele ficava imóvel.
-Durante a cena em que Simba se deita no penhasco e faz uma nuvem de pó se erguer aos céus, na versão original o pó formava a sigla SFX. Como muitos confundiram a mesma com a palavra SEX, nesta edição o pó foi modificado para que nenhuma letra seja discernível.
-A cachoeira vista durante a canção “Can You Feel The Love Tonight” foi feita mais realista e detalhada.

• O filme foi novamente modificado para o lançamento em DVD. A exemplo do que havia sido feito com A BELA E A FERA no ano interior, os artistas animaram um novo número musical e o inseriram no filme original. Neste caso, a canção se chama “Morning Report”, e foi escrita por Elton John e Tim Rice especialmente para o musical da Broadway. Além da edição especial, o DVD também supostamente inclui a edição original do filme – que é, na verdade, apenas a edição especial com todas modificações, mas sem a canção inédita.
• É o vídeo mais vendido de todos os tempos, com mais de 55 milhões de cópias vendidas até o momento.
• O lançamento em DVD bateu recordes de venda para um filme catálogo.
• O REI LEÃO inspirou um musical na Broadway, uma série de televisão estrelando Timão e Pumba, duas seqüências diretamente para o vídeo chamadas O REI LEÃO II: O REINO DE SIMBA (1998) e O REI LEÃO 3: HAKUNA MATATA (2003), além de diversas paradas e atrações nos parques da Disney.

Ver todos