Blog

COMPORTAMENTO

por pupicrystel em 21/03/07 - 23h:20m

COMPORTAMENTO
Meditando com o seu pet
Texto publicado no Jornal Folha de São Paulo, em 28/09/2006.
Autor: DENISE MOTA
Em "How to Meditate with Your Dog", autor defende que cachorros são os melhores gurus que o ser humano pode ter

James Jacobson, que é professor de meditação há 11 anos, com a cadela Maui
Divulgação

Para aprender a meditar, basta observar como um cachorro se comporta ao longo do dia. Foi assim que o empresário de comunicação e marketing James Jacobson -professor de meditação há 11 anos- aprimorou suas técnicas, e esse é o centro de seu "How to Meditate with Your Dog" (Como Meditar com Seu Cão), escrito com a professora de ioga Kristine Chandler Madera.

Espécie de manual prático em que ensina donos de cães a aliar os momentos de diversão com seus mascotes à prática de exercícios mentais, o livro, previa o autor, seria alvo fácil de chacota. "Não é piada, embora seja divertido", escreveu o norte-americano na apresentação do volume na internet.

Mais do que risos, a proposta recebeu atenção. "Notável" -como classificou o "Washington Post"-, o volume percorreu estúdios de Jay Leno a CNN. Os resultados estimularam Jacobson e Madera a escrever um novo título -"How to Meditate with Your Cat" (Como Meditar com Seu Gato)- , atualmente em produção e com lançamento marcado para o próximo ano.

Dono de Maui, um maltês de 13 anos, Jacobson medita "desde os cinco anos de idade". Passou a incluir o animal em suas atividades ao notar que a cadela reunia "intenção, crença e sinergia", os três "não-dogmas" com que constrói o processo meditativo, conforme detalha no livro.

Prestar atenção à conduta canina levou o empresário a concluir que imitar o modo como os cães reagem aos fatos cotidianos torna mais fácil ao leigo entrar em estado de meditação. "As pessoas se preocupam com o fato de que, quando meditam, pensamentos aleatórios afloram. Ficam tentando limpar a mente. Na verdade, independentemente de há quantos anos você medite, esses pensamentos vão aparecer. Com o tempo e a prática, talvez eles surjam menos, ou mais debilmente, mas vão continuar a surgir. Novatos têm dificuldade em aprender a se soltarem, a ser gentis consigo mesmo", disse Jacobson, 40, à Folha, em entrevista concedida de seu escritório no Havaí.

É nessa hora que os cães se tornam mestres "naturais", segundo o autor. "Os animais de estimação vivem o momento presente. Não têm expectativas sobre o que vai acontecer nem se preocupam com o passado. Não guardam rancor. Cães e gatos passam o tempo todo conosco apenas sendo e essa é a base para uma prática de meditação perfeita."

Para começar, são recomendáveis sessões curtas: "Um cão ansioso começa relaxando por poucos minutos", orienta Jacobson. Depois de um certo tempo, o período em que o animal "se divertirá em meditação com você aumentará".
Outro bom ponto de partida, afirma o empresário, é imaginar que esse momento de meditação a princípio será entendido por sua mascote como um novo jogo ou como um truque diferente. O que sempre será determinante é o tipo de relação desenvolvida entre o animal e seu dono.

"Quando você começa a meditar com seu cão", escreve Jacobson, "emprega algumas das técnicas que utilizaria para ensiná-lo a sentar ou a deitar. Muitos cães aprendem a meditar com seus donos mais facilmente do que a realizar os mais tradicionais truques de cachorro. Não há melhor modo de fortalecer o laço que une você e seu mascote do que sentarem juntos em meditação."
Meditar também faz bem para os animais de estimação, segundo Jacobson. "Não apenas melhora a saúde e o bem-estar dos cães mas também os deixa mais calmos, afetuosos e mais quietos e contentes."

Gatos oferecem desafio
Cães são professores pacientes. Felinos requerem esforço maior dos bípedes. "Os gatos são mais independentes. Isso pode se tornar um desafio para quem deseja meditar com seu gato do mesmo modo como o faria com um cão." Eis por que o próximo volume será dedicado a eles, ótimos professores -de acordo com o autor- para que os humanos aprendam a não criar expectativas.

"Há gatos que são bastante parecidos com um cachorro na medida em que gostam de estar fisicamente perto de seus donos. Outros muito dificilmente manterão proximidade, mas igualmente terão interesse no que seu dono está fazendo. Nesse novo livro partimos de onde paramos com os cães e abordamos o fato de que muitas coisas na nossa vida estão conectadas com o que esperamos dos outros. A meditação pode nos ajudar a eliminar essa idéia e permitir que vivamos o momento presente. Os gatos são professores muito bons para essa lição."

São especialistas também em tornar os humanos mais humildes e flexíveis às adversidades da vida, diz o autor. "Como sabemos, os gatos têm seu próprio modo de fazer as coisas, o que pode ser muito humilhante para nós, humanos. Os cães são um pouco mais previsíveis."
A capacidade de cair nas quatro patas também é didática: "Os gatos, mesmo em uma situação desfavorável, podem até vir rolando pelos ares, mas quando chegam ao chão se fixam em todas as patas. Adaptam-se muito facilmente. Nós podemos aprender isso".


--------------------------------------------------------------------------------

How to Meditate with Your Dog: An Introduction to Meditation for Dog Lovers (Como Meditar com Seu Cão: Uma Introdução à Meditação para Apaixonados por Cães)
Autores: James Jacobson e Kristine Chandler Madera

Amazon (amazon.com); 200 págs.
Para saber mais: dogmeditation.com.

http://www.guiaderacas.com.br/news.shtm
l

Ver todos