01/05/06 - 11h:56mDenunciar

AS MULHERES DO SERRO FRIO


O Serro sempre foi marcado pela presença das mulheres, simbolizadas por figuras notáveis.

Já nos primórdios, a africana alforriada JACINTA DE SIQUEIRA é a garimpeira responsável pelo próprio nascimento da cidade, ao descobrir os primeiros vinténs de ouro da região do Ivituruí. Com um pouco mais de espírito histórico feminino e teríamos aí o registro de uma mulher como fundadora da civilização do Serro Frio.

Após ela, muitas mulheres de variadas NAÇÕES AFRICANAS contribuíram para a construção do Serro Frio, seja nas atividades econômicas, nas lidas domésticas, na criação e formação das crianças e jovens ou forjando as marcas da cultura regional.

Maria da Cruz, embora um pouco perdida nas longas distâncias da Comarca do Serro Frio (Januária e Pedras de Maria da Cruz), também é uma das figuras mais relevantes de Minas, comandante da Revolta de 1736 no sertão do Rio S. Francisco, e uma das primeiras lideranças a se interessar pela educação em sua região.

CHICA DA SILVA é aquela mulher que consegue fugir ao seu destino de escrava, para se alfabetizar e governar, ainda que indiretamente, através da influência que exerce sobre o Contratador João Fernandes, no Tijuco.

DONA MARIA DO OURO FINO é o símbolo da contradição : mulher independente e empreendedora, não se esconde nas sombras e sai em defesa do Inconfidente e sobrinho Padre Rolim. Mas a beleza e a crueldade é que acabam por transformá-la em mito do Serro.

Outra misteriosa, surpreendente e quase esquecida personagem é CONSTÂNCIA MONTEIRO CABRAL, que chega de Portugal em 1798, em companhia do seu pai e do Ouvidor Antônio Seabra da Mota e Silva, e acaba sendo raptada por ele. Assim, acaba se tornando a protagonista de um "fato histórico" que inspira o autor do "romance histórico" de Dona Beija.

A mulata Luciana Teixeira é a barqueira que recebe as prostitutas expulsas da Aldeia do Pontal da Barra e que, juntas, fundam o arraial de Calhau, em 1817, futura cidade Araçuaí.

O francês Saint-Hilaire, em seus escritos, revela ao mundo que "em todo o Brasil não tinha visto senhoras tão educadas, tão belas, tão distintas no trajar como as de Vila do Príncipe".

ANA D´ÁFRICA, envolta em fatos e mitos, encarna também o mesmo espírito da mulher que não se entrega passivamente ao destino, assumindo com dignidade o degredo, após o assassinato do marido irascível.

No movimento revolucionário de abril de 1831, que levou à abdicação de D.Pedro I, entram para a história as "dezoito do Serro". As senhoras da Vila são as primeiras que oferecem "espontaneamente para a caixa militar suas jóias e seus serviços", com manifesto e abaixo-assinado. São as Queiroga, Fonseca, Magalhães, Lessa, Queiróz, Lima, Padilha, Coutinho, Castro... Algumas delas ainda compareceram orgulhosas aos festejos da Proclamação da República, para verem a realização do antigo sonho.

Na "Revolta das Mulheres", outro movimento histórico marcante, as mães e esposas serranas são as primeiras a se rebelarem contra o recrutamento militar obrigatório, em 1875, principalmente na região do Suaçuí.

Hoje continua a saga feminina. Da. Maria Eremita de Souza, mestra de todos os serranos, manteve viva por longos anos as histórias da terra, colecionando com cuidado, amor e paciência, o maior acervo oral e bibliográfico sobre o velho Serro e o norte de Minas. E Dona Lucinha Clementino leva hoje para o país e o mundo a suavidade, a culinária e a forte herança da nossa cultura interiorana.

Estes são alguns casos que mostram como o regime patriarcal da família mineira, apesar de sempre tentar impôr à mulher um papel submisso e apagado na vida pública, não conseguiu reduzir a importância do seu papel. Os historiadores, por seu lado, que também elegeram prioritariamente os homens como personagens, "sendo omissos em dar à mulher o lugar que merece, ao lado do homem", também deixaram frestas, por onde passaram estas emblemáticas figuras femininas.



- FONTE: "GUIA DO SERRO"

- FOTOS:
1- DONA LUCINHA Clementino Nunes.
2- Ana D´África. Representação a partir do quadro "Senhora Rica" (montagem), de Debret que bem poderia ser a imagem da personagem, bordando o colete para o Imperador Dom Pedro I.
3- Foto da atriz Zezé Mota no papel de Chica da Silva, em filme de Cacá Diegues.
4- Quadro "Negras de Diferentes Nações" (Debret).
5- Jacinta de Siqueira. Representação a partir do quadro "Negras no Rio de Janeiro" (montagem), de Rugendas.
6- Constância Monteiro Cabral. Representação da moça raptada, a partir do quadro "Palanquim", de Carlos Julião.
7- Maria do Ouro Fino. Representação a partir do quadro "Jantar de Família Rica" (montagem), de Debret.-



GUIA DO SERRO em livro
Se você quer ter todas estas informações em livro, pode pedir o "GUIA DO SERRO". É só entrar no link abaixo:
GUIA DO SERRO



O Serro tem tudo isto e muito mais.
VEJA MUITO MAIS COISAS SOBRE O SERRO NA PÁGINA INICIAL DO SITE: GUIA DO SERRO



A NATUREZA, A ARQUITETURA E OS BENS CULTURAIS DO SERRO TAMBÉM SÃO SEUS. AJUDE A PRESERVÁ-LOS.

Comentários (0)

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.