07/10/05 - 11h:05mDenunciar

...

Eu, Yumi e Tiemi no sítio do Kodama...Lindo o lugar né?







Um dia eu pensei em ser jornalista, e escrever...esses dias eu achei um dos textos...me digam o que acham dele...



PRESENTE



Havia amanhecido uma quinta feira de chuva, sem graça e cinza, como só as quintas conseguem ser. O trânsito na cidade estava horrível, como sempre...A cidade parecia ter acordado de mal humor, mas ela não! Era 10 de maio, um ano e dois meses desde aquela noite em que ele a beijara pela primeira vez.

Que se dane o mal humor do mundo! Tudo nesse dia para ela deveria ser romanticamente festivo! Não se completa um ano e dois meses de primeiro beijo todos os dias!

Chegou no escritório feliz. Deu bom dia para o porteiro, para a senhora do café, para um garotinho que ia a escola, para o cachorro que revirava o lixo na porta do prédio!

Lá pelas tantas da manhã toca o telefone:

- Oi, amorbomdia! Acoisaestácorridaporaquisóligueipráavisa
rquemaistardepassolaprateentregarumacois
a!



- Oi, amor...en.... – desligou! “Puxa ele deve estar ocupado, falou tão rápido que nem deu prá entender direito, mas ele disse entregar algo!!”

“Deve estar é preparando uma surpresa...e ai disfarçou no telefone...fingiu que nem lembrou que dia é hoje. Me entregar algo – devem ser flores, muitas flores! Ou talvez uma jóia, quem sabe até me peça em noivado hoje! Melhor pensar em bombons...mais prováveis e acessíveis! Sim, acho que serão bombons!”

E passou o dia entre talvez, deve ser, pode ser...imaginando qual seria o presente que seu amor lhe daria esta noite, que surpresa estava romanticamente preparando.

Mal deu seu horário ela saiu, esbaforida, chegando em casa com tempo suficiente para um longo banho com sais especiais, xampu com vitaminas para realçar o brilho das luzes recém-feitas, hidratante importado que custa uma fortuna e por isso só é usado em dias especiais, um belo vestido, maquiagem e uma sessão de treino de caras de surpresa e de “não precisava se preocupar” no espelho.

Quando o relógio quase bateu o atraso ele chegou. Ela o acompanhou descer do carro sem nenhum pacote.

“Deve estar no porta mala” – não estava.

“Talvez caiba em algum bolso. Ou quem sabe seja um convite para jantar fora.” – ela pensava enquanto o recebia.

- Oi amor! Então, eu tenho que te entregar uma coisa – dizia ele enquanto verificava os bolsos da calça.

“Hum, acho que é um anel!” – pensava olhando o atrapalhado rapaz vasculhar os bolsos.

- Ah! Achei! Está aqui...o batom que você esqueceu no carro ontem a noite...Agora preciso ir! O Zezão está me esperando para jogarmos sinuca. Tchauteamo!



...E depois ainda perguntam porque nós, mulheres, temos TPM!

vivichan não permite ver os comentários desta foto.

Fotos postadas a mais de 15 dias não podem receber comentários.